Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Operação da PC prende quatro membros de quadrilha que cometia fraudes bancárias em cidades do Pará

Três acusados foram presos na Região Metropolitana de Belém, e um em Parauapebas. Montante desviado ultrapassa meio milhão de reais

Redação Integrada (com informações da PCPA)

A Polícia Civil deu continuidade, nesta sexta-feira (7), à Operação "Cyber Market", que visa desmembrar uma organização criminosa que cometia fraudes bancárias em vários municípios do Pará. Três pessoas foram presas na Região Metropolitana de Belém (RMB), e uma em Parauapebas, no sudeste do Estado. As investigações apontam que o montante desviado ultrapassa meio milhão de reais.

As investigações iniciaram em dezembro de 2019, quando foram identificadas transações irregulares em uma instituição bancária. Os golpes iniciavam quando uma correntista recebia uma link falso, por meio de mensagem de texto, que permitia ao criminoso acesso às informações da vítima.

Um balanço da Divisão de Combate a Crimes Econômicos e Patrimoniais por Meios Cibernéticos (DCCEP) da Polícia Civil, mostra que inúmeras vítimas, de todas as regiões do Estado, procuraram o órgão e denunciaram o crime.

As diligências começaram nesta quinta-feira (6). No sudoeste do Estado, os agentes da PCPA estiveram nas cidades de Parauapebas, Canaã dos Carajás e Palestina do Pará. Na região, uma mulher foi presa por envolvimento direto no esquema. As investigações apontam que ela recebeu o valor de R$ 75 mil. 

Em Palestina do Pará, um homem foi conduzido à unidade policial, onde prestou esclarecimentos.  Já na RMB, três pessoas foram presas. Celulares, notebooks, documentos e cartões foram apreendidos na residência dos acusados. 

Ainda segundo as investigações, os golpistas utilizavam comércios locais para comprar produtos alimentícios, revender e "esquentar" o dinheiro. Todos os envolvidos já estão à disposição da justiça.

Palavras-chave

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA