logo jornal amazonia

Marabá: Sete detentos não retornam à prisão após saída temporária de fim de ano

A Secretaria de Administração Penitenciária do Pará (Seap) informou que solicitou de imediato à Vara de Execuções de Marabá uma expedição de mandados de capturas dos evadidos

O Liberal
fonte

​Pelo menos sete, dos 193 detentos que tiveram direito à saída temporária no dia 27 de dezembro de 2022, não retornaram para a Unidade Semiaberto Masculino de Marabá (USMM), no Complexo Penitenciário de Marabá, localizado às margens da BR-230 (Transamazônica), sentido Itupiranga, em Marabá, no sudeste do Estado. As informações são do site Debate Carajás.

VEJA MAIS

image Mais de 270 presos foram beneficiados com a saída temporária de Natal no Pará
Saídas temporárias começa nesta sexta-feira (23) e a data prevista para o retorno é dia 30 de dezembro

[[(standard.Article) OFF Pará possui mais de 4 mil presos provisórios, diz Seap]]

De acordo com o portal, os detentos que agora são considerados como foragidos são: Caio da Conceição Gomes da Silva, Flavio Gomes de Sousa Filho, Igor Matheus Izaias Silva, Lucas Rodrigues da Silva, Carlos dos Santos da Silva, Lucas dos Santos de Oliveira e Euziane Aranha Duarte.

Outros dois presos, identificados como Marcos Vinicius Santos Silva e Vilmar Cardoso da Silva, também estavam foragidos, mas, foram recapturados pela polícia na última terça-feira (3). Os militares seguem à procura dos demais presos ainda não localizados.

A Secretaria de Administração Penitenciária do Pará (Seap) se manifestou sobre o ocorrido e confirmou que “sete internos da Unidade Semiaberto Masculino de Marabá (USMM), no Complexo Penitenciário de Marabá, não retornaram após receberem o benefício da saída temporária referente ao período de fim de ano.” A Secretaria acrescentou que “solicitou de imediato à Vara de Execuções de Marabá uma expedição de mandados de capturas” dos foragidos.​​

Polícia
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA