Mãe queima a mão do filho de 7 anos como punição após furto de achocolatado

O caso de violência chocou e revoltou a população de Tailândia, no nordeste do Pará. A mulher foi presa nesta quinta-feira (18).

Redação Integrada

Um caso de violência chocou a população da cidade de Tailândia, no nordeste paraense. Uma mãe jogou água fervendo e queimou, propositadamente, a mão do próprio filho de 7 anos como punição por ele ter mexido em uma lata de achocolatado na cozinha da casa. Ela se escondeu na casa de familiares, mas foi descoberta e presa pela polícia na tarde desta quinta-feira (18).

A Polícia Civil tomou conhecimento do caso ao ser informada que uma criança de 7 anos havia dado entrada no Hospital Regional de Tailândia, nesta quinta-feira, com um grave ferimento na mão decorrente de água fervente. Pelos relatos, os policiais civis logo suspeitaram das circunstância do ocorrido e iniciaram investigação para identificar a mãe da criança, o que não demorou.

A água fervente queimou o dorso da mão e abriu feridas nos dedos do menino (Reprodução / Polícia Civil)

Amanda Sousa da Cruz foi apontada como a autora do ferimento no menino. A polícia só conseguiu prendê-la após buscas e incursões na cidade, até que foi possível a prisão em  flagrante na casa de familiares de Amanda, onde ela se escondia.

Na Delegacia de Tailândia, ela confessou o crime, justificando que havia repreendido a criança e jogado água fervente na mão do filho como castigo por ele ter mexido na lata de achocolatado.

Amanda está presa na Delegacia de Tailândia à disposição da Justiça e o garoto foi entregue a familiares que se responsabilizaram em cuidar e tratar do ferimento do menino.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA