Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Homem vai fazer serviço de mudança e é morto a tiros em Marabá, no sudeste paraense

Nilvan Joaquim dos Santos, de 41 anos, foi assassinado na frente da casa de um cliente que contratou um serviço de frete

Redação Integrada

Nilvan Joaquim dos Santos, de 41 anos, foi assassinado a tiros no bairro Cidade Jardim, em Marabá, no sudeste paraense. O crime ocorreu na noite desta quarta-feira (18), pouco depois de a vítima terminar um serviço de frete de mudança para um cliente. De acordo com o sargento C. Araújo, da Polícia Militar, os policiais chegaram ao local após uma chamada de moradores da localidade, pelo Núcleo Integrado de Operações Policiais (NIOP), que relataram ter ouvido diversos disparos na Rua D-10.

O corpo foi encontrado pelos militares caído no chão, ao lado da caminhonete usada para fazer o transporte da mudança. Nilvan morreu em frente à casa do proprietário dos objetos que seriam transportados. A hipótese é que ele tenha sido morto por um motociclista, que possivelmente atuou com um comparsa.

De acordo com o site Correio de Carajás, o proprietário da residência relatou aos policiais que a vítima, ao terminar o serviço contratado, foi fechar a traseira do veículo no momento em que foi alvejado com diversos disparos de arma de fogo. O dono da residência disse ter corrido para tentar se abrigar em casa ao ouvir os tiros e só saiu com a chegada da PM.

Investigadores do Departamento de Homicídios da Polícia Civil estiveram no local do crime colhendo as primeiras informações. O corpo foi removido pelo Instituto Médico Legal (IML).

Nilvan costumava fazer ponto de mototaxista e também mantinha uma caminhonete para realizar fretes. Ele respondia a um processo por violência doméstica e havia sido indiciado por crimes de trânsito.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA