“Era ele ou eu”, diz detento que arrancou coração de outro com lâmina de barbear

Vítima teria recebido bilhete de uma facção criminosa que exigia que ele executasse o autor do crime

(Com informações do Portal Metrópoles)

A Polícia Civil de Blumenau (SC) deu mais detalhes sobre o caso do detento que assassinou e arrancou o coração de um colega de cela na Penitenciária Industrial no dia 15 deste mês. As novas informações foram divulgadas na quinta-feira (17), após o delegado responsável pela investigação, Juraci Darolt, ouvir o autor do crime, Luiz Carlos Keller, de 24 anos, pela segunda vez e também interrogar outros detentos que estavam na cela no momento do crime.

A vítima foi identificada como Alexander Alves, de 27 anos. De acordo com o assassino confesso, 17 dias atrás Alexander teria recebido um bilhete de uma facção criminosa exigindo que ele executasse um dos colegas de cela. E o escolhido teria sido justamente Luiz Carlos.

No relato feito ao delegado, ele contou que na noite do crime Alexander tentou lhe aplicar um mata-leão, mas Luiz conseguiu se defender e acabou golpeando a vítima, batendo com a cabeça do oponente no chão. Já desacordado, Alexander foi executado e, por fim, teve o coração arrancado.

De autor da execução ordenada por uma facção criminosa, Alexander Alves passou a vítima de seu oponente e colega de cela (Reprodução ND)

Segundo a Polícia, inicialmente Luiz Carlos tentou usar uma escova de dentes para abrir o peito e retirar o coração da vítima. Como não conseguiu, pegou três lâminas de barbear, entregues aos detentos para a higienização pessoal, fez um corte no peito e retirou o coração da vítima com as próprias mãos.

O autor ainda chegou a limpar a cela e colocou o órgão da vítima em uma sacola plástica antes de chamar os agentes penitenciários. Toda a ação teria durado cerca de uma hora.

Ainda de acordo com o delegado, durante depoimento Luiz Carlos não demonstrou nenhum arrependimento. “Ele disse que precisava tinha de tomar uma decisão: ou ele morria, ou ele matava. Então, ele preferiu matar”, detalhou. Darolt disse ainda que o inquérito do caso está praticamente concluído, já que o autor assumiu o homicídio.

Alexander cumpria pena por tráfico de drogas, já Luiz responde por um assassinato cometido em 2015 na cidade de Pinhalzinho, no oeste de Santa Catarina. Conforme a polícia, ele também teria envolvimento em um homicídio ocorrido dentro do Presídio Regional de Blumenau, em 2018, em que o detento foi morto de forma semelhante ao crime do dia 15, exceto pela retirada do coração.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM POLÍCIA