Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Caminhão que transportava cerca de 16 mil pares de calçados falsificados é apreendido na BR-010

A carga, com valor estimado em mais de R$ 700 mil, abasteceria o comércio ilegal de produtos falsificados nos estados do Amapá e Pará

Redação Integrada

Cerca de 16 mil pares de calçados falsificados foram apreendidos por equipes da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) e Receita Federal, em um caminhão vistoriado na unidade do Itinga, na divisa do Pará com o Maranhão. A mercadoria está chegando ao Porto de Belém na manhã desta terça-feira (20), onde haverá uma coletiva para maiores esclarecimentos.

A apreensão aconteceu na Rodovia BR-010 (Belém-Brasília), município de Dom Eliseu, e faz parte da Operação "Rota 010", que tem o objetivo de combater rotas de contrabando pelas rodovias BR-010 e BR-222, na divisa dos dois estados.

Na abordagem da carreta, servidores da Sefa solicitaram os documentos fiscais, enquanto a equipe da Receita fez a análise de risco. Ao abrirem o veículo para conferir a carga, as equipes encontraram milhares de calçados (tênis) - imitações de marcas conhecidas.

A carga, com valor estimado em mais de R$ 700 mil, abasteceria o comércio ilegal de produtos falsificados nos estados do Amapá e Pará, especialmente na capital paraense, Belém. A mercadoria foi apreendida pela Receita Federal.

"Não houve emissão de Termo de Apreensão e Depósito (TAD), tendo em vista que a mercadoria possuía notas compatíveis com a quantidade da carga. A infringência está ligada ao fato de os calçados serem imitações de marcas conhecidas", explicou o fiscal de receitas estaduais George Tavares.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA