Após demissão, homem mata duas pessoas do antigo emprego e comete suicídio

Ex-segurança de uma casa de poker foi acusado de furtos na empresa. Ele matou o colega que o denunciou e o patrão.

Redação Integrada de O Liberal

Raimundo Santos Cabral nunca aceitou ter sido demitido de uma casa de poker, em Marabá. A demissão ocorreu recentemente, após o rapaz ter sido acusado de furto. Revoltado, resolveu se vingar de Ricardo Farias da Silva (ex-colega de trabalho) e Rafael Torelli (ex-patrão). Matou os dois e então cometeu suicídio. Tudo ocorreu na tarde desta sexta-feira (9), no bairro Novo Horizonte. Familiares e amigos de todos os envolvidos nessa tragédia estão inconsoláveis.

Essa motivação para os crimes foi levantada por policiais civis e militares. Outros funcionários da casa de poker relataram como tudo começou e terminou. Raimundo, que era conhecido como Kim Brown, foi acusado de furtar o estabelecimento de jogos. Ele trabalhava como segurança lá. Ricardo, que tinha o apelido de Quaresma, foi o denunciante. Não se sabe que provas foram usadas contra o ex-funcionário, mas Rafael acatou a denúncia.

Desde então, Raimundo vinha tentando provar a inocência. Não se conformava com a acusação e a demissão. Sem ser ouvido e ter outra chance, a revolta só aumentou. Até que ele conseguiu um revólver calibre 38 e usou para matar o ex-colega e o ex-patrão. O dono da casa de poker também era servidor do Tribunal Regional do Trabalho (TRT da Oitava Região) de Marabá.

Ricardo, também conhecido como Quaresma, teria sido quem denunciou Raimundo ao patrão. Ele foi a primeira vítima. (Reprodução)

Nos relatos dos funcionários, a primeira vítima de Raimundo foi Ricardo, o ex-colega que o denunciou ao patrão. Morreu na hora e deixa uma filha de três anos. Em seguida, atirou na cabeça do ex-patrão, Rafael. O empresário foi levado a uma clínica particular, ainda com vida. Não resistiu por muito tempo. Após os crimes, Raimundo atirou na própria cabeça e caiu no meio da avenida Dois Mil, onde fica a casa de poker.

Peritos do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves analisaram toda a cena. O revólver usado por Raimundo foi apreendido e será periciado também. À Polícia Civil agora cabe rastrear a origem da arma e colher depoimentos para compreender toda a história trágica. Não há registros de ocorrência de furtos na casa de poker. O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil.

 

OAB lamenta a morte de Rafael Torelli

A Ordem dos Advogados do Brasil Seção Pará (OAB-PA), subseção de Marabá, emitiu uma nota de pesar pela morte de Rafael Torelli. Era considerado, pela instituição, um servidor exemplar da justiça trabalhista.

Rafael Torelli era o proprietário da casa de poker. E também servidor do TRT8, em Marabá. OAB-PA lamentou a morte dele. (Reprodução.)

.“O presidente da OAB Subseção Marabá, Ismael Gaia, expressa a mais profunda solidariedade aos familiares, colegas servidores da Justiça do Trabalho e amigos. E pede a Deus que dê a Rafael Torelli, o merecido repouso eterno em seu reino. Muito respeitosamente, prestamos as nossas condolências e deixamos os nossos mais sinceros pêsames”, diz a nota.

“A OAB Subseção Marabá lamenta profundamente o ocorrido, e reafirma seu compromisso na luta no combate à violência e no aumento da segurança pública na sociedade marabaense, para que casos como este não mais ocorram em nossa região”, pontua a instituição.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!