Pará registra mais de R$ 3,2 bilhões em prejuízos devido a acidentes de trânsito em 2022

A falha humana por conta do uso do celular é um dos principais fatores de acidentes

Fabyo Cruz

Cada acidente no trânsito custa em média 261 mil reais, segundo um estudo realizado em 2020 pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).  90% dos casos poderiam ser evitados, aponta a Organização das Nações Unidas (ONU). O Pará registrou, de janeiro a maio deste ano, 12.479 acidentes, que custaram em prejuízos aos cofres do Estado mais de R$ 3,2 bilhões, segundo informou o Departamento de Trânsito do Estado (Detran).A falha humana, incluindo a falta de atenção dos condutores por conta do uso do celular, é um dos principais fatores.

“Temos conscientizado os motoristas, tivemos resultados nos últimos anos que poderiam ter sido melhores ainda desde houvesse uma consciência maior de que a falta de atenção no trânsito é um dos principais problemas que nos levam aos hospitais ou até a morte. A gente acredita que todo evento de trânsito poderia ser evitado sim. Com esses valores que acabamos tendo que lançar mão, poderíamos cobrir e melhorar as mais vias”, disse José Bento Gouveia, diretor técnico e operacional do Detran.

 

Veja quanto custa um acidente de trânsito no Brasil, segundo o Ipea:

 

  • R$ 664.821,46 com morte
  • R$ 96.747,79  com feridos
  • R$ 23.498,77 danos materiais
  • Custo médio R$ 261.689
  • R$ 50 bilhões por ano ao Brasil todo

 

O servidor ressalta que o acidente nem sempre é registrado, pois alguns condutores fogem do local ou resolver aquela situação ali mesmo, por conta disso, não é a forma mais adequada para fazer levantamentos. “O número de mortes no trânsito é transparente digamos assim, é mais fácil de se trabalhar e saber os motivos dela, agora, eventualmente, podemos em determinados ponto checar que em lugares específicos estão ocorrendo muitos acidentes”, explicou.    

Em 2020, o Pará contabilizou 1.947 mortes no trânsito, quando havia 2.227.354 veículos registrados pelo Detran. Já em 2021, morreram 1.397 pessoas, na época, o registro era de 2.347.719 veículos. A queda corresponde a 28,2%. “Ainda não podemos fechar 2022 porque ainda falta dois anos para concluir, mas o que estamos percebendo é que há uma queda positiva de mortes, então o que estamos comemorando é justamente isso, que a gente consegue relativizar através de índices  

 

Uso do celular ao volante

 

 

José Bento Gouveia comenta que o uso do celular no trânsito é frequente, tirando atenção e até levando à morte. “É importante salientar que a questão do celular é trabalhada na educação no trânsito desde praticamente a existência do aparelho. A distração ao ler uma mensagem enquanto se dirige é tão perigosa que durante 15 segundos, olhando para a tela de um aparelho, você dirigir por um quarteirão sem prestar atenção”, afirmou.  

Dados do Registro Nacional de Infrações de Trânsito (Renainf) apontam que o país registrou 246.438 infrações de trânsito por uso de celular no ano de 2021, o que equivale a 28 pessoas multadas a cada hora usando o dispositivo enquanto dirigem. Mais de um terço (37%) das multas foi registrado no Estado de São Paulo, onde 91.362 pessoas foram flagradas utilizando os aparelhos ao volante no ano passado.

 

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM PARÁ

MAIS LIDAS EM PARÁ