Inverno acende alerta para aumento de casos de meningite em Castanhal

A doença é a inflamação da meninge, membrana que recobre o cérebro e pode ser causada por bactérias, vírus, parasitas, fungos e os sintomas são diferentes conforme o tipo de infecção

Patrícia Baía
fonte

Mês de novembro e já começamos a perceber o aumento da incidência das chuvas. Tudo isso porque estamos no começo do inverno amazônico e é justamente nesta fase de mudança de estação que surgem casos de algumas doenças, como a meningite.

A doença é a inflamação da meninge, membrana que recobre o cérebro e pode ser causada por bactérias, vírus, parasitas, fungos e os sintomas são diferentes conforme o tipo de infecção.

A Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Castanhal faz o alerta para o perigo de contrair a meningite. E sua transmissão ocorre de pessoa para pessoa, por via aérea (fala, tosse e espirro) e os riscos de contágio aumentam, neste período de chuvas, porque as pessoas ficam mais tempo em ambientes fechados.

“Na época das chuvas, principalmente as pessoas que ficam mais em casa estão mais sujeitas a pegar. Com as chuvas as casas, principalmente, ficam mais tempo fechadas e com pouca circulação de ar, ouse seja, sem estar arejadas e esse ambiente é propicio para o vírus ou para as bactérias causadoras da meningite consigam ficar no local “, explicou a técnica de vigilância em endemias, Silvia da Silva.

Esta é uma doença grave e que se não for identificada logo pode evoluir rapidamente ao óbito. “Porque em muitas vezes quando o paciente chega ao hospital já está em estado bem debilitado e pode até entrar em coma e morrer rapidamente. Os sintomas se assemelham ao de uma gripe ou resfriado e por isso a demora de alguns pacientes em procurar ajuda”, disse.

Casos

De acordo com a Vigilância em Saúde foram registrado oito casos de janeiro até outubro deste ano, sendo três deles em adultos com idades entre 20 e 29 anos. O técnico de vigilância em endemias, Júlio Moreira alerta para a importância da vacina para proteção contra a doença. “A gente percebe que a maioria dos casos que são notificados, tanto em crianças como em adultos, são de pessoas que não tomaram a primeira dose ou não completaram o quadro vacinal”, explicou.

Vacinas  

Sete vacinas contra a meningite são recomendadas e estão disponíveis por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). A vacinação ainda é considerada a forma mais eficaz na prevenção.

São elas:

BCG: protege contra as formas graves da tuberculose, inclusive a meningite tuberculosa. Esquema vacinal: dose única (ao nascer);

Penta: protege contra as doenças invasivas causadas pelo Haemophilus influenzae sorotipo B, como meningite e também contra a difteria, tétano, coqueluche e hepatite B.

Pneumocócica 10-valente (Conjugada): protege contra as doenças invasivas causadas pelo Streptococcus pneumoniae, incluindo meningite.

Pneumocócica 23-valente (Polissacarídica): protege contra as doenças invasivas causadas pelo Streptococcus pneumoniae, incluindo meningite.

Pneumocócica 13-valente (Conjugada): protege contra as doenças invasivas causadas pelo Streptococcus pneumoniae, incluindo meningite.

Meningocócica C (Conjugada): protege contra a doença meningocócica causada pelo sorogrupo C. Esquema vacinal: 1ª dose aos 3 meses de idade; 2ª dose aos 5 meses de idade e reforço aos 12 meses de idade;

Meningocócica ACWY (Conjugada): protege contra a doença meningocócica causada pelos sorogrupos A, C, W e Y.

Pará
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM PARÁ

MAIS LIDAS EM PARÁ