Imprensa no Pará: jornalismo preza pelo bem público, destaca historiador

Jornais O Paraense e O Liberal marcam a história da relações sociais no Pará

Eduardo Rocha
fonte

O 7º Encontro Regional Norte de História da Mídia, organizado pela Associação Brasileira de Pesquisadores de História da Mídia (ALCAR), foi aberto no Capacit da Universidade Federal do Pará (UFPA), nesta quinta-feira (17), com uma abordagem sobre o tema "O jornal O Paraense e o começo da imprensa no Pará de 1822" a cargo do professor e historiador Geraldo Mártires Coelho, em que se destaca a postura da Imprensa por uma gestão responsável do bem público.

O jornal O Paraense, como destacou o professor Geraldo Mártires, nasceu em maio de 1822 como resultado da ação política e intelectual de Felipe Patroni, um paraense que estudou em Coimbra (Portugal), participou da Revolução Constitucionalista em 1820, em Portugal, que advogou causas liberais as quais ele trouxe para o Pará, no discurso do jornal. "Felipe Patroni advogava que justamente a administração pública fosse ocupada por homens de mérito e de talento, não apenas burocratas sem nenhuma qualificação", ressaltou Geraldo.

A publicação do jornal foi uma iniciativa de Patroni juntamente com um tipógrafo que que conheceu e veio com ele de Portugal, chamado Daniel Garção de Mello. Tratava-se de um empreendimento pequeno. E o foco de Felipe Patroni era o de "iluminar a administração pública". Patroni buscava chegar justamente ao governo nessa época, como frisou o historiador. O Paraense é o primeiro jornal da história do Pará, com surgimento no mesmo ano da Independência do Brasil - surgiu em maio e a Independência se deu em setembro também de 1822.

"A Imprensa, simbolicamente, baliza o nascimento de um novo quadro das relações de poder em um lugar que buscava ser ocupado por homens preparados, intelectual e literariamente falando, que não fossem apenas aqueles elementos da velha administração colonial portuguesa, porque eram homens rudes e despreparados, no geral, para a vida pública, segundo a maneira como viam e desejavam os iluministas da época", observou o historiador.

O Liberal

O jornal O Liberal originou-se em um cenário intelectual e político novo na história do Pará. A origem desse jornal está ligada à relação de poder da época de ex-governador Magalhães Barata, do Partido Social Democrático do Pará (PSD), de Zacharias de Assumpção.

"Ele surge, na verdade, como um jornal que buscava defender politicamente Magalhães Barata e, depois, o PSD, que surgiu como o apoio político do Barata. O nascimento do Liberal, já aquela altura, se dá em meio a um grupo de homens que tinham uma prática política, intelectual, preparo, tanto que deram forma, deram corpo ao PSD", resssalta Geraldo Mártires.

Termômetro

A contribuição do jornalista Romulo Maiorana à história da Imprensa ocorre em uma fase posterior, considerada como uma fase contemporânea do jornal. Romulo adquiriu o jornal em 1966. "O Romulo marca, por exemplo, giros de 180 graus na história de O Liberal, e quando O Liberal sai do velho estabelecimento que tinha, ali perto do Colégio Santo Antônio, e vai ocupar o prédio que era da antiga Folha do Norte, na Gaspar Vianna, que já foi adquirido na administração do Maiorana", destacou o historiador.

Acerca dos 76 anos de atuação de O Liberal, Geraldo Mártires Coelho afirmou que todo  jornal se integra à dinâmica histórica de uma cidade, de um país; "se nós verificarmos a trajetória de O Liberal é também termômetro das realidades intelectuais, políticas, ideológicas do Estado do Pará no tempo em que ele circula".

image Jornalistas, professores e estudantes participam do evento na UFPA (Foto: Eduardo Rocha / O Liberal)

História

A coordenadora do 7º Encontro Regional Norte de História da Mídia, Netília Seixas, atua como professor da Faculdade de Comunicação, do Programa de Pós-graduação, Comunicação. Cultura e Amazônia e no Programa de Pós-Graduação Criatividade e Inovação em Metodologias de Ensino Superior. Ela destacou que ser importante para estudantes de Jornalismo e profissionais conhecerem a história da Imprensa na Amazônia, "como o jornalismo, a publicidade foi se configurando ao longo do tempo desde quando surgiu em 1822, com o primeiro jornal, O Paraense, até o momento atual".

"Muito aconteceu, outras mídias vieram, primeiro vieram os jornais, depois, as revistas, e, já no Século 20, o rádio, depois, a televisão, e, já no final do século, todo esse ambiente digital que nós temos de uma maneira intensa, ocupando hoje a nossa vida diária, e o nosso objetivo é refletir sobre esse processo", afirmou a professora.

Ela pontua que em geral se tem um desconhecimento grande sobre essa trajetória do jornlismo no Pará, sobre "como esse jornalismo se constituiu, como ele começou, como a profissão do jornalista foi se constituindo, a do publicitário também".

"Nas nossas pesquisas, buscamos olhar a partir de dois pontos de vista: um, a partir da configuração dos próprios meios, no caso, das profissões de jornalista, publicitário e as empresas nas quais atuaram, e, como outro ponto de vista, o dos conteúdos, dos temas, dos conteúdos que circularam e circulam veiculados por essa mídias; esses discursos representam, são a voz da sociedade naquele momento do que está circulando a respeito das várias temáticas". "Então, quando nos olhamos para os jornais, seja do Século IX ou seja de um passado mais recente, estamos observando as vozes, os discursos de um determinado tempo da nossa sociedade local e nacional; a enunciação jornalística tem o poder de reverberar tudo o que está acontecendo na sociedade em um determinado momento", salientou a professora.

O 7º Encontro Regional Norte de História da Mídia prosseguirá, nesta sexta-feira (18), no campus da UFPA (Capacita), no bairro do Guamá. A programação pode ser conferida aqui

Pará
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM PARÁ

MAIS LIDAS EM PARÁ