Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Agrovila de Macapazinho realiza o 95º Círio de Nossa Senhora de Nazaré

Dezenas de embarcações acompanharam o círio das águas

Patrícia Baía

A agrovila de Macapazinho, em Castanhal, nordeste do estado, celebrou no domingo (07), de manhã, o 95º Círio de Nossa Senhora de Nazaré, a principal festa religiosa da comunidade quilombola. As homenagens iniciaram com uma missa realizada, na comunidade Boa Vista, de onde saiu a romaria fluvial pelas águas do rio Apeú.

 A imagem foi conduzida em uma embarcação, onde estavam as crianças vestidas de anjinhos, e foi seguida por barcos e canoas com os fiéis. A romaria tem um percurso de três quilômetros e faz parte da tradição o barco que leva a imagem de Nossa Senhora de Nazaré ir na frente conduzindo os outros.

Mas este ano um grupo formado por três amigos resolveu ir a nado com a ajuda de pedaços de isopor. José Carlos Ferreira atendeu ao pedido do amigo que precisava pagar uma promessa. “Estamos aqui pelo nosso amigo que teve uma graça alcançada e não queria fazer esse percurso sozinho. Então viemos dar esse apoio”, contou.

A graça alcançada foi a cura do filho. José Maciel prometeu a Nossa Senhora acompanhar a romaria a nado por dez anos. “Meu filho sofria muito de asma e vivia doente. Eu orei e pedi que ela desse a cura e prometi fazer esse sacrifício em agradecimento”, disse.

Seu Carlos Alberto Xavier de Moraes, de 66anos, acompanha a romaria desde os 5 anos de idade e sempre aproveita o momento para agradecer todas as bençãos recebidas. “Sou muito grato a Nossa Senhora de Nazaré e sei que desde sempre ela esteve comigo e por isso passei essa tradição para os meus filhos e netos que também estão aqui na romaria para agradecer”, contou.

Na chegada a Macapazinho, mais emoção. A imagem foi recebida, na margem do rio, pelos moradores da agrovila, com muitos fogos e aplausos.

 O padre da comunidade, Adriano Nogueira, conduziu a santa até uma berlinda ornamentada com flores rosas e brancas. Nossa Senhora foi conduzida em uma pequena romaria pelas ruas e depois foi recebida na pracinha do coreto, onde foi realizada mais uma missa. 

“Por causa de tantas gerações que vem mantendo essa tradição viva podemos acolher Nossa Senhora e seu filho em nossos corações com muita fé e alegria”, enfatizou o padre.

Para a dona Ana Wanzeller, que mora em Belém, mas participa da romaria há mais 10 anos, esse é um momento de dever cumprido. “Quando a Nossa Senhora chega aqui nos trazendo, temos a sensação de que deu tudo certo e que mais uma missão foi cumprida. Eu moro em Belém, mas desde que fui apresentada a essa festa linda, não parei mais de vir. Eu passo o ano todo esperando por esse momento de gratidão por tudo que recebi até aqui”, contou.

MAIS LIDAS

Círio ecológico: 22 toneladas de resíduos da Quermesse Mariana são destinados de forma correta
Projeto "EcoCírio", iniciado em 2016, conta com parcerias que ajudam a fazer das festividades da Virgem de Nazaré momentos com consciência ambiental sobre os resíduos gerados

Círio 2022: segunda caminhada Círio Todo Dia será nesta quinta-feira (09/06), em Belém
Percurso será noturno, pelas calçadas, com orações e sem necessidade de interromper o trânsito no centro da capital

Imagem 

A imagem que participou do círio deste ano é uma réplica da imagem da Nossa Senhora do Círio de Belém, foi produzida pela Amacon (Ateliê de Mosaico Arquitetura e Artes Sacras da Diocese de Castanhal). De acordo com a coordenação do Círio de Macapazinho, a imagem original não irá mais participar da festividade para que seja preservada. Ela passa a ficar em um nicho na igreja de Nossa Senhora de Nazaré, em Macapazinho.

“A imagem original está para completar 100 anos e por isso decidimos que ela estará mais segura e preservada se ficar apenas para a visitação na nossa igreja”, explicou Lukas Reis, coordenador da festa.

História 

A tradição é muito grande na comunidade. Tudo começou no ano de 1927, quando o músico Emílio do Rosário, que dava aulas em , Macapazinho sofreu um acidente de barco a caminho de Belém e somente ele se salvou e por isso fez a promessa a Nossa Senhora de que faria um Círio em sua homenagem pelas águas do rio Apeú, em forma de agradecimento. 

“Ele era de Caraparú e nessa época era comum as pessoas usarem os rios como meio de transporte porque ainda não tinha estrada. E o que os antigos contam é que ele dava aulas e tocava aqui em Macapazinho. Ele sabia que na comunidade todos tinham uma grande devoção a Nossa Senhora de Nazaré e na hora do naufrágio lembrou dela e fez a promessa. Foi assim que nasceu o Círio”, contou o coordenador Lukas Reis.

Programação do Círio

Sábado (13 de agosto)
19:00 - Missa animada pela pastoral Juvenil e Amigos do Divino Esp. Santo.
Domingo (14 de agosto)
Re-Círio. 09:00 - Missa com batizado.

 

 

 

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM PARÁ

MAIS LIDAS EM PARÁ