Peru vai deportar brasileiro que danificou templo de Machu Picchu

Além dele, argentino enfrentará um processo judicial por suposto crime de destruição de bens culturais após assumir ser um autor direto do ataque

Reuters

A polícia peruana informou na terça-feira que vai deportar cinco turistas de Argentina, Chile, Brasil e França por envolvimento em atos que danificaram uma rocha em um muro inca de Machu Picchu, em Cusco, que é considerada uma das novas maravilhas do mundo.

Outro cidadão argentino enfrentará um processo judicial por suposto crime de destruição de bens culturais após assumir ser um "autor direto do ataque", afirmou a polícia.

"No momento, eles estão sujeitos às autoridades de imigração e ao Judiciário, que vão determinar qual será a pena", disse o general Víctor Patiño, chefe da 7ª Região da Polícia de Cusco, à imprensa.

De acordo com a polícia, os seis turistas foram presos por entrarem irregularmente em Machu Picchu e, supostamente, causar a queda de uma pedra do Templo do Sol a uma altura de seis metros. Além disso, um deles defecou em uma área de ruínas pré-hispânicas.

Machu Picchu é uma cidade de pedra construída há cerca de 500 anos pelo Império Inca que dominou essa parte do continente, do sul da Colômbia e do Equador até a área central do Chile.

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!