Jornalista presa por criticar invasão na Ucrânia escapa da prisão domiciliar e foge da Rússia

Marina Ovsiannikova é ex-colaboradora do canal estatal de televisão da Rússia e havia sido acusada de espalhar notícias falsas sobre a guerra

O Liberal

O advogado da jornalista Marina Ovsiannikova, ex-colaboradora do canal estatal de televisão da Rússia que foi acusada de espalhar notícias falsas sobre a Guerra da Ucrânia, afirmou que a mulher conseguiu fugir do país, nesta segunda-feira (17). Ela estava presa na própria casa desde agosto, por conta de um protesto contra a invasão da Ucrânia, mas escapou da prisão domiciliar no dia 5 de outubro. As informações são do Jornal Folha de São Paulo. 

VEJA MAIS

'Não há mais necessidade de ataques maciços na Ucrânia'
VLADIMIR PUTIN, presidente russo, ao declarar que a ofensiva contra a Ucrânia deve terminar em duas semanas. Na última segunda-feira (10), a Rússia realizou uma série de fortes ataques em todo o território ucraniano, bombardeando inclusive o centro da capital Kiev pela primeira vez desde o início do conflito, em fevereiro deste ano.

Europa ameaça destruir Exército russo se Putin usar bomba nuclear
União Europeia diz que reação seria convencional

Ovsiannikova chamou a atenção do mundo ao interromper uma transmissão de um noticiário da televisão estatal ao vivo carregando um cartaz escrito "pare a guerra" e "estão mentindo para você". Em julho, do topo de um dique fluvial na frente do Kremlin, ela também exibiu um cartaz chamando Vladimir Putin de assassino e seus soldados de fascistas, o que resultou na prisão domiciliar. Ela foi condenada a dez anos de prisão

Moscou apertou o cerco à imprensa e à oposição do governo de Putin desde março deste ano, quando entrou em vigor uma bateria de leis contrárias à divulgação do que fossem consideradas "informações deliberadamente falsas" sobre o Exército do país. 

Rússia usa drones 'kamikaze' de fabricação iraniana para atacar cidade da Ucrânia
Afirmação é do governo ucraniano. Aeronave não tripulada se destrói ao ser lançada contra seus alvos. Governo do Irã nega ter fornecido o armamento a Moscou

Rússia afirma que prendeu 8 pessoas por explosão de ponte da Crimeia
Entre os presos, estão cinco russos e três cidadãos da Ucrânia e da Armênia

O advogado da jornalista, Dmitri Zakhvakatov, informou que ela está sob a proteção de um Estado europeu, mas não revelou qual é o país. A filha de Ovsiannikova conseguiu deixar a Rússia junto com a mãe, mas o filho permanece no País. "Em breve, tudo virá à público. Precisamos de algumas semanas", disse.

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO