Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Idosa de 92 anos é mais uma sobrevivente do holocausto morta na guerra na Ucrânia

Vanda Semyonovna Obiedkova passou duas semanas sem conseguir se levantar, congelando e implorando por água no porão de sua casa na cidade de Mariupol

O Liberal

Oitenta anos depois de fugir dos nazistas, Vanda Semyonovna Obiedkova morreu aos 91 anos, no dia 4 de abril. Ela ficou duas semanas sem conseguir se levantar, congelando e implorando por água no porão de sua casa na cidade de Mariupol, principal ponto de bombardeios russos.

Vanda nasceu em Mariupol, no dia 8 de dezembro de 1930 e tinha apenas 10 anos quando os nazistas entraram na cidade procurando por judeus. A SS (Schutzstaffel) levou a mãe de Vanda, Maria (Mindel), que foi executada juntamente com milhares de outros judeus detidos na região, mas a menina conseguiu escapar se escondendo no porão de casa. Seu pai não era judeu.

VEJA MAIS

'Se tivéssemos mais armas, a guerra já estaria acabada' Volodymyr Zelensky, presidente da Ucrânia, ao acreditar que a guerra contra a Rússia já teria sido vencida se aliados ocidentais, entre eles os Estados Unidos e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), tivessem enviado mais armas ao país para combater as tropas inimigas

Rússia afirma ter conquistado Mariupol e cercado área com cerca de 2 mil militares da Ucrânia Os combatentes ucranianos estão na zona industrial da siderúrgica Azovstal, enquanto o restante da cidade está vazia

Novo míssil da Rússia: veja o que é e como funciona o RS-28 Sarmat O armamento, apelidado no ocidente de "Satã-2" , pode carregar 10 a 15 ogivas nucleares independentes com a capacidade de destruir uma área equivalente à França

A idosa vivia agora com sua filha Larissa, que juntamente com o marido arriscou a vida para enterrar a mãe em um parque público, em meio aos bombardeios ininterruptos. A família estava no porão de uma loja vizinha de fornecimento de aquecimento, desde que os ataques começaram.

"Não havia água, nem eletricidade, nem calor —e estava insuportavelmente frio", disse Larissa em entrevista ao site judeu Chabad.org. Ela passou todo o seu tempo cuidando de sua mãe imóvel, mas "não havia nada que pudéssemos fazer por ela. Estávamos vivendo como animais.". Larissa e o marido conseguiram fugir da cidade após a morte de Vanda.

Boris Romantschenko morreu aos 96 anos (Foto: Reprodução/Telegram/Andriy Sadovyi / Via UOL)

Outro sobrevivente do holocausto que morreu na guerra da Ucrânia foi Boris Romantschenko. Ele morreu no dia 18 de março, aos 96 anos, quando seu prédio foi destruído pelas bombas russas, na cidade ucraniana de Kharkiv. Boris era o vice-presidente da Fundação de Memoriais de Buchenwald e Mittelbau-Dora, uma organização criada para honrar e guardar a memória de pessoas que perderam a vida nos campos de concentração nazistas construídos em Buchenwald e em Mittelbau-Dora.

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO