Gripe aviária: galinhas que teriam se tornado canibais em lockdown são investigadas

As aves teriam se tornado agressivas e com comportamento canibal após ficarem confinadas durante isolamento social

Maiza Santos

Galinhas de uma fazenda em Cotswolds, no Reino Unido, teriam se tornado canibais após ficarem confinadas durante um lockdown para controlar surtos de gripe aviária. Os criadores das aves apontam que precisaram manter os animais em pequenos espaços para tentar protegê-los da doença. O governo inglês investiga o comportamento para decidir o que fazer com as galinhas e outras aves da região.

VEJA MAIS

image Confira o que animais de estimação podem ou não comer
As veterinárias, Carolina Martins e Kelly Souza, de Belém, listam alimentos adequados para cães, gatos e algumas aves

image ‘Caetana Velosa’: Galinha paraense chama atenção por ser ‘apaixonada’ por açaí
A galinha de estimação é da professora Giovanna Farias de Sousa, que mora em Ananindeua. Caetana tem 11 anos e é o xodó da casa

image Cachorro é amarrado com galinha morta e explosivo; casal é preso
Os dois devem responder pelo crime de maus-tratos, com pena de dois a quatro anos de prisão

A revelação sobre o canibalismo nas galinhas surgiu depois que o governo britânico anunciou que todas as aves deveriam ser mantidas em cativeiro, em razão de um aumento expressivo no número de casos detectados de gripe aviária em aves selvagens e nas criadas em fazendas. Segundo a vigilância sanitária, esse é o maior surto de gripe aviária de todos os tempos no país.

Todos os criadores de aves passaram a manter os animais em ambientes fechados e implementar medidas rigorosas de biossegurança para evitar o contágio da doença, independentemente do tipo ou tamanho dos animais. No entanto, um fazendeiro alertou que forçar as aves, especialmente as galinhas, a ficarem confinadas as deixava mais agressivas.

“O regulamento estipula um tipo de lockdown, no qual galinhas devem ser mantidas dentro de um espaço confinado. Sem tentar ser muito detalhado e técnico sobre isso, forçá-las a viver nessa condição pode trazer todos os tipos de problemas, resultando em canibalismo. Portanto, não é o ideal, mas claramente temos um desafio e temos que fazer algo a respeito”, disse o proprietário de aves. Ele também criticou o governo por não ter elaborado uma estratégia mais eficiente, apoiada na aplicação de vacinas para controlar o surto. 

Vacinas 

A diretora do departamento de medicina veterinária do Reino Unido, Christine Middlemiss, apontou o motivo para as vacinas não serem a principal solução para a gripe aviária. Segundo ela, anteriormente a vacinação só acontecia em “circunstâncias muito excepcionais” na Inglaterra para aves de zoológico, porque a vacina disponível no momento não é “eficaz contra esta cepa atual” do vírus.

No entanto, para manter todos em segurança, seriam necessárias medidas rígidas como o uso de roupas de proteção e controle de água e ração para manter o vírus longe das propriedades. A vigilância sanitária está realizando simulações de emergência para que estejam prontos para agir, caso o vírus da gripe aviária também se torne perigoso para humanos. 

(Estagiária Maiza Santos, sob supervisão da editora Web de OLiberal.com, Heloá Canali)

 

Mundo
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO