Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Fake news de Whatsapp faz grupo de pessoas matar turista queimado vivo

Um áudio compartilhado na rede social alertava as famílias para cuidarem de suas crianças

Maiza Santos

Um homem identificado como Daniel Picazo, de 31 anos, foi espancado e queimado vivo após pessoas acreditarem equivocadamente que ele era um sequestrador de crianças. A mídia local afirma que o turista era um advogado que estava a passeio pela cidade. Tudo aconteceu na noite da última sexta-feira (10), em um município do interior do México.

O crime ocorreu após circular no WhatsApp dos moradores um áudio que afirmava que uma criança havia sofrido uma tentativa de sequestro na comunidade.

VEJA MAIS

Vacinação de porta em porta e combate às fake news são lições do Marajó no combate à covid-19
O Arquipélago marajoara abriga uma das populações mais vulneráveis do País diante de uma pandemia. Em maio de 2020, Breves chegou a ter 11,55% de taxa de letalidade da covid-19, que foi maior que a taxa registrada em Belém (11,29%)

Fake news: contrariando Moraes, ministro Nunes Marques suspende decisão do TSE que cassou deputado
Marques também suspendeu outra decisão contra um segundo deputado bolsonarista. Com isso, os dois parlamentares tiveram os mandatos restabelecidos

Ex-atacante paraense nega prisão por associação ao tráfico. 'É fake news, como sempre'
Denúncia anônima levou a Polícia Militar até uma residência, em Angra dos Reis, onde encontraram drogas. Jobson teria relação com um dos presos na operação

Após o compartilhamento do conteúdo, as pessoas passaram a tentar encontrar o suposto criminoso que, segundo a mensagem, se tratava de um dos turistas que estavam na região. O áudio também aconselhava que as pessoas deveriam ficar em alerta com as crianças pequenas.

Daniel foi apontado como o autor do crime por populares que, enfurecidos, o espancaram e o queimaram vivo.

Profissionais da saúde e a polícia foram ao local do crime, mas a população não teria permitido a passagem. Quando o resgate conseguiu atravessar a multidão, Daniel já estava morto.

A irmã da vítima usou as redes sociais para lamentar a morte de Daniel e disse esperar que a justiça seja feita. "Descobrir como tiraram sua vida me causa a maior repulsa pelas pessoas que injustamente fizeram isso sem saber que você era um profissional, um amante das viagens e da vida, com um futuro brilhante. Voe alto, meu Dany, confio que Deus fará justiça a todas aquelas pessoas que cortaram suas asas", escreveu a familiar, no Facebook.

(Estagiária Maiza Santos, sob supervisão da editora Web de OLiberal.com, Ana Carolina Matos)

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO