Eleições de meio de mandato: Saiba como os EUA votam, contam os votos e se têm urnas eletrônicas

As eleições legislativas nos Estados Unidos ocorrem neste ano de 2022; após as eleições de 2020, so sistemas de votação do país passaram a ser questionados, diminuindo a confiabilidade dos eleitores no sistema eleitoral do país

Gabriel Mansur

Os Estados Unidos contam com diversas formas de votação, algumas mais questionadas do que outras. A história do país tornou variável a maneira como seus eleitores enxergam os formatos de votação. As informações são da agência Reuters.

Em 2006, após a vitória de Bush sobre Al Gore, o país investiu fortemente nas urnas eletrônicas sem papel, com aproximadamente 30% dos seus eleitores escolhendo esse formato. Entretanto, em 2020, apenas 9% dos eleitores utilizaram o sistema.

VEJA MAIS

Entenda como funciona a eleição nos Estados Unidos
Diferente do Brasil, o país americano não depende do voto popular para eleger seu candidato

Eleições legislativas nos EUA: governabilidade de Biden e futuro de Trump estão em jogo
Norte-americanos vão às urnas nesta terça-feira (8). Pleito vai definir se Democratas manterão o controle do Congresso

Steve Bannon, ex-estrategista de Donald Trump, é condenado a prisão pela Justiça dos EUA
A sentença se refere às acusações foi condenado por se recusar a entregar documentos e a depor à comissão da Câmara que investiga a invasão do Capitólio

O país é dividido em formatos de votação que utilizam urnas eletrônicas ou cédulas de papel. Isso não impediu que questionamentos a ambos os lados fossem realizados. Entretanto, a maior vítima da campanha de questionamentos a respeito da confiabilidade das eleições foi a urna eletrônica. Isso porque sistema eleitoral dos Estados Unidos também sofreu com a desinformação e com notícias falsas a respeito de sua confiança. O ex-presidente Trump e seus aliados levantaram diversas dúvidas sobre os resultados da eleição presidencial de 2020, quando o magnata foi derrotado. 

Sistemas de votação e de contagem de votos

Urnas eletrônicas

Após as eleições de 2020, as urnas eletrônicas tiveram um aumento de popularidade. Entre 2006 e 2016, um terço dos eleitores utilizava o método de votação que registrava os votos diretamente nos dispositivos. O problema com esse tipo de método é a falta de registro físico.

O sistema de confiança precisa levar em consideração que as urnas não apresentam mau funcionamento, que os mesários não alteraram votos e que as máquinas não foram hackeadas. De 2016 até 2020, a queda no número de eleitores que utilizavam as urnas eletrônicas foi de 13%. Segundo a agência Reuters, a preocupação está no aumento do medo de interferências estrangeiras nas eleições e a necessidade de auditar os votos.

Para as eleições deste ano, o número esperado é de apenas 5%. Apenas seis estados têm condados que utilizam as urnas eletrônicas. A maioria é formada por eleitores de apenas um dos lados. 

No domingo (7), a cantora Katy Perry compartilhou em sua conta no Instagram uma foto onde aparece dentro da cabine de votação, mostrando seu voto, em um dispositivo eletrônico, o que é legal no país.

Cédulas de papel

Este método de votação é o mais utilizado no país. Cerca de 70% dos votos registrados utilizaram cédulas de papel. Em 23% destes casos, os eleitores usaram um sistema que registra eletronicamente a escolha, mas que também produz um registro físico que pode ser escaneado por outros dispositivos.

Neste sistema de votação, o eleitor utiliza as cédulas de papel para registrar seu voto, e estas cédulas são contadas por um sistema de escaneamento. Segundo especialistas, este é o método mais seguro, pois eleitores podem verificar seus votos e oficiais podem cruzar registros após as eleições.

O estado da Georgia

Em 2020, o ex-presidente Donald Trump questionou o resultado das eleições na Georgia, onde perdeu para o atual presidente Joe Biden. O território utilizou o sistema de urnas eletrônicas por anos, mas em 2020, optou pelas cédulas de papel. Na ocasião, foi possível que os oficiais das eleições pudessem contar manualmente os votos, declarando incontestavelmente a vitória de Biden

A confiança nas eleições dos Estados Unidos se tornou tão sensível, que apenas 20% dos eleitores se sentiam extremamente confiantes com seus sistemas de votação

(Estagiário Gabriel Mansur, sob supervisão do editor executivo de OLiberal.com, Carlos Fellip)

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO