Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Durante culto, mulher expõe pastor: 'Tinha 16 anos quando você tirou minha virgindade'

O pastor e a mulher tiveram uma relação extraconjugal de 9 anos e ela afirmou que vivia "uma prisão de mentiras e vergonha"

O Liberal

Durante um culto realizado no último domingo, 22, na cidade norte-americana de Warsaw, no Estado de Indiana, a congregação New Life Christian Church & World Outreach foi surpreendida por duas declarações polêmicas.

No primeiro momento, o reverendo John Lowe II, de 65 anos, revelou que tinha uma confissão para fazer: "Eu cometi adultério". Casado há 45 anos, o pastor afirmou que havia "pecado" em um caso que durou "tempo demais", ocorrido "20 anos atrás". Ele anunciou que estava se afastando de suas funções. Depois do anúncio, ele foi aplaudido de pé pelos seus seguidores por ter confessado o pecado.

VEJA MAIS

Jovem denuncia pastor por racismo após ele mandá-la 'passar chapinha'
Em uma “reunião secreta”, ocorrida depois do caso, a jovem aconselhada a não levar o caso para a polícia. Apesar do medo de ficar sem emprego, a vítima disse para o portal que a vontade de fazer justiça era maior

'Mendigos têm dever bíblico de passar fome', diz pastor em redes sociais
Declaração gerou revolta e Marcos Granconato se disse assustado com a repercussão: ‘estou sendo linchado’

Em seguida, uma mulher, que não foi identificada, foi até o palco e afirmou que gostaria de contar sua versão dessa história. Ela disse que a relação extraconjugal não havia ocorrido há 20 anos, mas há 27, e que tinha 16 anos quando os dois começaram a se relacionar.

"Tinha 16 anos quando você tirou minha virgindade no chão do seu escritório. Você se lembra disso? Eu sei que sim", disse. "Você fez coisas ao meu corpo adolescente que nunca deveriam ter sido feitas", afirmou a mulher.

Falso líder religioso suspeito de estuprar mais de 30 meninas é preso
Ao menos 30 adolescentes, entre 12 e 18 anos, foram estupradas



O pastor e a mulher tiveram uma relação extraconjugal de 9 anos e ela afirmou que vivia "uma prisão de mentiras e vergonha". Disse que pessoas da congregação sabiam do ocorrido, mas tinham "medo demais para tomar alguma atitude". "Ninguém veio até a mim, ninguém nunca me ajudou, ninguém nunca me deu um aconselhamento", afirma a mulher, que descreveu ter enfrentado pensamentos suicidas e se culpado durante anos pelo relacionamento com o pastor casado. "Essa igreja foi construída em cima de mentiras, mas não mais."

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO