Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Cientistas alertam para novos sintomas da varíola dos macacos; veja quais são

A preocupação dos especialistas é de que os sintomas possam estar sendo confundidos com outras infecções

Luciana Carvalho

Uma pesquisa publicada nesta quinta-feira (21) no The New England Journal of Medicine, afirma que muitas pessoas diagnosticadas com a varíola dos macacos, no surto atual, apresentaram sintomas que ainda não estavam incluídos nas definições da doença. As informações são do portal Metrópoles.

O estudo fez uma análise de casos registrados em 16 países e descobriu que, apesar de a maioria dos infectados ter desenvolvido sintomas semelhantes aos da gripe e da catapora, alguns também apresentaram lesões genitais e feridas no ânus e na boca que, até então, não tinham sido relatados como característicos da varíola dos macacos.

Segundo os dados da pesquisa, uma a cada 10 pessoas tiveram apenas lesões na pele na região genital e 15% sentiram dores anais. Em outra análise, publicada no início de julho no British Medical Journal, foi constatado que lesões na região genital se tornaram mais comuns no surto atual do vírus.

VEJA MAIS

Varíola dos macacos: número de casos sobe 31,8% em 24h e Brasil chega a 592 infectados
Até o momento, só a Região Norte não registra casos de varíola dos macacos

Varíola dos macacos: saiba como se prevenir da doença
Doença começa a se alastra pelo Brasil; casos passam de 100

Matheus Pires, de 'No Limite', está com varíola dos macacos
O ex-participante não estará presente na final do programa, que acontece nesta quinta (7)

Diagnóstico confuso

A preocupação dos cientistas é de que os sintomas possam estar sendo confundidos com outras infecções sexualmente transmissíveis, como sífilis e herpes. Isso pode resultar em diagnósticos errados e subnotificação de casos, o que tornaria a contenção da varíola dos macacos ainda mais desafiadora.

“Os sintomas clínicos são parecidos com os de outras infecções, mas, em algumas pessoas, sintomas na boca e na região do ânus levaram a internações, pois provocaram muita dor e dificuldade para engolir”, explicaram os cientistas na pesquisa publicada no BMJ. Eles acrescentaram que é importante que pacientes e profissionais de saúde reconheçam os novos sintomas para controlar a transmissão viral.

A varíola dos macacos não é uma infecção sexualmente transmissível, mas o surto atual está relacionado ao ato sexual, pois a contaminação ocorre quando há contato físico muito próximo entre as pessoas.

Muitos casos registrados foram em homens que têm relações sexuais com homens, e especialistas em saúde já mostraram que o sêmen pode conter o vírus. Para reduzir a contaminação, os ingleses que contraíram a doença foram instruídos a utilizarem camisinha nas 12 semanas seguintes à recuperação.

(Luciana Carvalho, estagiária da Redação sob supervisão de Keila Ferreira, Coordenadora do Núcleo de Política).

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO