Cabeça decapitada é achada com máscara do homem-aranha na Argentina

A cabeça estava “cuidadosamente embrulhada em gaze”, sustentada por um gorro de lã

Luciana Carvalho
fonte

Uma cabeça decapitada e mumificada de uma criança com uma máscara de homem-aranha foi encontrada pelos agentes da alfândega de Monte Grande, na Argentina, durante a verificação rotineira de correspondências. As informações são do portal Metrópoles.

O remetente descreveu a máscara como um brinquedo, “um enfeite artesanal do Homem Aranha”, e tinha como destino o bairro do Brooklyn em Nova York (EUA), segundo o jornal Infobae.

Como o scanner revelou formas compatíveis com ossos, a caixa foi aberta para descartar suspeitas de tráfico humano. A cabeça estava “cuidadosamente embrulhada em gaze”, sustentada por um gorro de lã.

VEJA MAIS

image Crânio humano é encontrado próximo ao Rio Parauapebas, em Canaã dos Carajás
Uma banhista nadava na beira do rio quando pisou no crânio e achou que fosse um coco. A Polícia Civil investiga o caso

image Pai e filho encontram ossada humana durante trajeto para a escola
Segundo a polícia, os restos mortais seriam de um homem

image Crânio humano e vela vermelha: ritual ou brincadeira de mau gosto assusta moradores no Pará
Um crânio humano com uma vela vermelha derretida espantou a vizinhança que chamou a polícia

O remetente é um nome aparentemente falso, não existe nas redes sociais nem nas bases fiscais. Por outro lado, o nome do destinatário corresponde ao de uma celebridade norte-americana que já participou de reality shows.

As suspeitas é de que a cabeça pertença a um menino de 12 anos. Ela foi “perfeitamente decapitada”, com uma base de pele cicatrizada.

“As condições de descoberta são raras. Crânios esqueletizados são geralmente encontrados, mas não mumificados”, diz uma fonte ligada ao caso.

O Tribunal Penal Econômico Nacional da Argentina ordenou a entrega da cabeça ao Departamento de Crimes Fiscais da PFA para a sua guarda e custódia. Em seguida, os restos mortais foram entregues a uma equipe de antropologia forense, que os analisou.

(Luciana Carvalho, estagiária da Redação sob supervisão de Elisa Vaz, repórter do Núcleo de Política)

Mundo
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO