Avião da Ethiopian Airlines soltou fumaça e sacudiu antes de acidente, dizem testemunhas

A aeronave também soltou destroços ao se inclinar sobre um campo repleto de vacas

Reuters

O avião da Ethiopian Airlines que caiu e matou as 157 pessoas que estavam a bordo chacoalhou anormalmente e soltou fumaça e destroços ao se inclinar sobre um campo repleto de vacas assustadas antes de se chocar com o solo, de acordo com testemunhas.

O voo 302 decolou de Adis Abeba, capital da Etiópia, na manhã de domingo, com destino a Nairóbi, no Quênia, com passageiros de mais de 30 países. Todos a bordo do 737 MAX 8 morreram.

Leia também

Procon-SP quer que Gol deixe em terra avião Boeing envolvido em queda na África

Avião cai no Irã com 66 pessoas a bordo

O piloto havia pedido permissão para voltar, dizendo estar com problemas, mas era tarde demais.

Seis testemunhas entrevistadas pela Reuters na plantação em que o avião caiu relataram fumaça saindo pela traseira, e quatro delas também descreveram um som alto.

"Era um chacoalhar alto. Como metal se torcendo e sacudindo", disse Turn Buzuna, dona de casa e agricultora, de 26 anos, que mora a cerca de 300 metros do local da queda.

"Todos dizem que nunca ouviram esse tipo de som de um avião, e eles estão em uma rota de voos", acrescentou.

Malka Galato, plantador de cevada e trigo de 47 anos em cujo campo a aeronave caiu, também descreveu fumaça e faíscas na traseira.

"O avião estava muito próximo do solo e fez uma curva... as vacas que pastavam nos campos correram apavoradas", contou.

Tamirat Abera, de 25 anos, andava ao longo do campo na ocasião. Ele disse que o avião virou radicalmente, lançando fumaça e itens como roupas e papéis, e depois caiu a cerca de 300 metros de distância.

Mundo