Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Alergia à força da gravidade: doença rara faz mulher desmaiar caso fique de pé por três minutos

Uma mulher viveu por anos sem saber que tinha a síndrome e, agora, é completamente dependente do marido

Maiza Santos

Lyndsi Johnson é uma norte-americana de 28 anos que se autodenomina “alérgica à força da gravidade”. Ela não consegue ficar de pé por mais de três minutos sem desmaiar. Após os sintomas piorarem, a mulher se viu obrigada a passar até 23 horas na cama e contar com a ajuda do marido para realizar todas as tarefas básicas do dia-a-dia.

VEJA MAIS

Gêmeas sofrem de síndrome rara que deixa os cabelos 'elétricos'
No mundo, há registros de cerca de 100 crianças vivendo atualmente com o 'cabelo impenteável'

Menina de 5 anos tem síndrome rara causada pela covid-19
O diagnóstico de Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica foi confirmado apenas 12 dias após a manifestação dos primeiros sintomas

Mulher é diagnosticada com síndrome rara da ‘Boca Ardente’ após ‘formigamento na língua'
Não há cura para a Síndrome da Boca Ardente (SBA). Alyssa sofre com intensas dores e não consegue engolir alimentos

Após enfrentar a doença, a mulher relata que só consegue se levantar para comer ou tomar banho. Para fazer isso, ela ainda precisa estar sentada em uma cadeira. Além disso, também conta que passa por quadros de desmaios todos os dias, chegando a ter 10 diariamente. “Sou alérgica à gravidade, parece loucura, mas é verdade. Eu fui de ‘super ativa’ para ter que me deitar o dia todo”, disse durante uma entrevista.

De acordo com Lyndsi, ela tinha uma vida normal até que em 2015 começou a sofrer com dores de cabeça, no abdômen e nas costas. Os médicos não conseguiram diagnosticá-la e os sintomas só pioraram. Em 2018, ela precisou ser afastada do trabalho. Como as dores não pararam, ela deixou de fazer movimentos como se curvar e também dirigir. Dois anos depois, em 2020, passou a ter crises de vômito e desmaios. “Foi realmente assustador. Meu desmaio piorou a partir daí, eu até desmaiei depois que meu cachorro latiu”, contou.

Os médicos não sabiam do que se tratava e apontavam crises de ansiedade como causadoras dos sintomas. Somente em fevereiro deste ano ela descobriu que era portadora de uma doença rara chamada STOP (síndrome da taquicardia ortostática postural).

Atualmente, Lyndsi depende integralmente do marido James e faz uso de betabloqueadores, um medicamento que diminui a frequência cardíaca. Com o auxílio do remédio, a jovem reduziu os desmaios diários de dez para três e sente menos náuseas. Presa na cama, ela usa o Instagram para se comunicar com outras pessoas, contar sua experiência e conscientizar sobre a síndrome. 

O que é a síndrome de STOP (alergia a gravidade)?

De acordo com o manual MSD, a STOP é caracterizada por uma alteração da frequência cardíaca quando o paciente fica em pé. Ele aumenta até 30 batimentos por minuto acima do nível considerado normal (120 bpm). Isso causa:

  • fadiga
  • atordoamento
  • intolerância aos esforços
  • comprometimento cognitivo
  • taquicardia

Ainda não se sabe o que causa a STOP, no entanto, pode se desenvolver em pessoas na adolescência ou após uma doença grave, lesão traumática ou gravidez.

(Estagiária Maiza Santos, sob supervisão da editora Web de OLiberal.com, Adna Figueira)

 

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO