Com sistema de combate a incêndio, cerca elétrica e câmeras, estádio do Remo é um canteiro de obras

Rodrigo Pampolha dispara "Vergonhoso o que fizeram e como deixaram esse estádio"

Redação Integrada

A boa fase do Remo em campo também se reflete fora dele. A principal medida administrativa envolve a reconstrução do estádio Evandro Almeida, o Baenão. A diretoria planejou que o jogo de reabertura da praça esportiva será contra o Juventude, pela 11º rodada do Campeonato Brasileiro da Série C, cuja data ainda não foi definida pela Confederação Brasileira de Futebol.

No momento, o Baenão é um verdadeiro canteiro de obras. A diretoria trabalha em conjunto com torcedores que se aglomeraram no 'Projeto a volta do Rei'. Um dos principais organizadores é Rodrigo Pampolha. Ele afirmou que de 10 etapas, oito já estão concluídas. "Estamos na parte de acabamento". De acordo com ele, o estádio dispõe de sistema de combate ao incêndio, cerca elétrica e câmera, adequando-se às normativas de segurança.

Rodrigo ressaltou a evolução do trabalho e a forma como visualizaram o Baenão. "Vergonhoso o que fizeram e como deixaram esse estádio. Mais de quatro anos abandonado. Não foi uma simples reforma. Foi uma reconstrução do estádio. O projeto conseguiu trazer esse estádio de volta. Em 15 a 20 dias, vamos ter todas as liberações". 

Remo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!