Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Paraenses ficam em primeiro lugar em competição nacional de canoa havaiana

Larissa Noguchi e Alan Bordallo, da equipe MacKnight Paddle School, ganharam na categoria mista

O Liberal

A Volta Ilha de Santo Amaro, que é uma das competições mais tradicionais de canoa Havaiana do Brasil, ocorreu no último sábado (9), em Santos. A 18ª edição teve participação de dois paraenses, os jornalistas e atletas Larissa Noguchi e Alan Bordallo, que conquistaram o primeiro lugar na categoria mista. Ambos fazem parte do Caruanas Va'a, de Belém, mas nesta competição representaram a equipe MacKnight Paddle School, de Niterói (RS) e considerada uma das melhores do Brasil.

O circuito contou com 33 equipes, sete desistiram. Entre os competidores, estava o campeão paralímpico Fernando Rufino, que foi ouro na canoagem de velocidade nos Jogos de Tóquio deste ano.

Os paraenses ficaram responsáveis por fazer o leme da equipe, ou seja, eles davam a direção e a rota que iriam seguir. Cada time foi formado com nove atletas, seis na canoa e três de apoio para o revezamento, feito ao longo da competição. Normalmente, o percurso tem 75 km, mas, neste ano, por conta das condições do tempo e do mar, a prova foi feita pelo Canal do Bertioga, com cerca de 70 km. 

“Foi uma prova bem dura, porque foi disputada dentro do rio, então tem que ter muita atenção na navegação porque tem partes muito rasas a canoa corre o risco de encalhar. Estava muito frio, foi uma das coisas mais desgastante, e a chuva, que caiu em quase todo o percurso. A gente conseguiu liderar quase toda a prova, largamos atrás, mas com menos de quarenta minutos já estava na liderança e só fez aumentar a vantagem até concluir”, contou Alan Bordallo. 

(Divulgação)

Segundo Larissa Noguchi, ela foi a primeira mulher paraense a conseguir um primeiro lugar nessa prova. Ela relatou que a competição foi bem dura, com grande exigência física e muito estudo. Além disso, para ela foi uma experiência muito boa. 

“Eu estou muito grata e muito feliz de poder sair daqui e ser reconhecida na modalidade pelo Brasil. Quando você sai do Pará e encara o circuito Sul e Sudeste, onde o esporte é mais valorizado, com um nível de treinamento maior, e você acaba se destacando, os atletas de elite acabam te reconhecendo pelo trabalho que você faz. Para mim é muito valoroso”, relatou Larissa. 

Representatividade

Além da Volta da Ilha de Santo Amaro, a atleta paraense, junto com Lorena Jacob, participou de outras duas grandes competições: a Volta à Ilha de Vitória, em julho, em que a dupla ficou em segundo lugar; e o maior Downwind do Brasil, em setembro, quando saiu com o bronze. Larissa Noguchi ressaltou que é muito importante a posição que ela está conseguindo e que possa ser exemplo para outras mulheres. 

 (Divulgação)

“E eu comecei a trabalhar intensamente para aparecer nas competições desde a Volta a Ilha de Vitória, e eu venho conseguindo grandes títulos. Isso é muito importante, principalmente para nós mulheres amazônidas, que a gente não tem tanta voz, não tem patrocínio, é tudo muito difícil. E poder ser destaque com outros competidores de elite, isso é muito valoroso. Eu acho que também serve de exemplo para que outras mulheres tenham vontade de está na água, de remar, de se dedicar um pouco mais para conseguir grandes vitórias”, finalizou a atleta.

Mais Esportes
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM MAIS ESPORTES

MAIS LIDAS EM ESPORTES