Restaurantes esperam grande movimento no dia dos pais em Belém

Será a primeira data comemorativa depois da reabertura desses estabelecimentos, que estavam com as portas fechadas na pandemia

Keila Ferreira

Uma data marcada por reuniões em família, o Dia dos Pais, comemorado este ano no dia 9 de agosto, está gerando grande expectativa nos restaurantes de Belém, seja para o atendimento presencial ou venda de refeições no sistema delivery. Será a primeira data comemorativa depois da reabertura desses estabelecimentos que, em razão da pandemia do novo coronavírus, estavam com as portas fechadas – atendendo apenas no delivery – em duas outras importantes datas para o setor: Dia das Mães e Dia dos Namorados.

Com a procura nos restaurantes crescendo aos poucos, eles acreditam que a demanda no domingo da semana que vem será grande, mas o faturamento não alcançará o resultado esperado, porque vai esbarrar nas limitações impostas pela Prefeitura de Belém. Atualmente, os restaurantes podem funcionar com limite de 40% da sua capacidade e até quatro pessoas por mesa.

“A expectativa está dentro da nossa possibilidade de atendimento. Nós estamos encerrando o verão amazônico e vamos estar com público na capital, provavelmente vamos ter o movimento maior, mas pelas limitações, não será o público esperado para alcançar a expectativa de atendimento”, declarou a Presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Pará (Abrasel/PA), Rosane Oliveira.

Segundo ela, a entidade espera poder dialogar com o prefeito Zenaldo Coutinho, na próxima semana, na tentativa de flexibilizar algumas regras impostas. No caso de limite de pessoas por mesa, Rosane diz que já há uma flexibilização que possibilita até oito pessoas, se forem da mesma família. “A dificuldade é ficar comprovando o fato de serem todos da mesma família. Você tem um grupo de família que está acostumado a conviver direto, a nossa intenção é que exista agora a possibilidade de ser normal (oito pessoas, da mesma família ou não). Essa restrição não é interessante para o gestor, assim como as próprias pessoas”, argumenta.  “A gente vai tentar essa possibilidade, porque vai ficar difícil atender as famílias e o dono do estabelecimento acaba não sendo compreendido, muitos pensam que é uma regra própria, do restaurante. No geral, a expectativa é boa, que a gente consiga atender o maior número de pessoas. A população está apta a sair, conviver, interagir, buscando todas as medidas de segurança possível”, completou.

Outra expectativa dos estabelecimentos é conseguir aumentar o limite de 40% da capacidade. Maurício Façanha, proprietário de um restaurante, diz que essa limitação tem causado receio para o Dia dos Pais. “Porque a gente já teve um domingo mais agitado e a pressão dos clientes para querer entrar no restaurante e a gente não permitir”. Em razão disso, ele pensa em adotar uma estratégia nunca usada antes: fazer reserva. “Para tentar encaixar todo mundo e não ter problema na porta. São dois problemas que a gente está vivendo, o primeiro da limitação de quatro pessoas por mesa, que a gente tem respeitado, mas a pressão da população é grande, porque a família é grande. E o outro é a capacidade de 40%”, explica. “A gente esperava muito que houvesse uma flexibilização da Prefeitura”, argumenta.

Quanto ao delivery, ele diz que houve queda significativa no número de pedidos, depois que os restaurantes foram autorizados a reabrir, chegando ao ponto do faturamento no atendimento presencial já ser superior a esta outra modalidade. “O delivery é limitado, a pessoa faz o pedido e não tem experiência de continuar o consumo”, ressalta. Durante as restrições que impediam a abertura de restaurantes, Maurício contratou três entregadores, mas como o movimento continuava baixo, reduziu para dois. No Dia dos Pais, pretende chamar outro trabalhador, novamente, para ajudar nas entregas em domicílio.

Dona de outro restaurante, Ana Paula Chaves acredita que o Dia dos Pais será o melhor dia de faturamento, desde que sua empresa reabriu. “Apesar de não ser tão forte quanto o Dia das Mães”, ressalta. “Mas a gente tem limitação de capacidade, tem a quantidade por mesa. Isso atrapalha um pouco, porque muitos clientes reclamam, chega um família de seis, sete pessoas”, observa. O estabelecimento ainda está preparando o planejamento para essa data, mas pretende trabalhar baseado nos resultados do ano passado, contando com uma pequena redução no movimento, diante das restrições. “A gente percebe que vem melhorando (o movimento), mas o meu público é mais antigo e são as pessoas de mais idade, mais preocupadas com a doença. O delivery ajudou, mas não teve o faturamento normal, com o retorno (reabertura dos restaurantes), caiu um pouco. Para o Dia dos Pais, a expectativa é dar uma melhorada, em função das pessoas estarem dentro de casa. Na verdade, é tudo tão novo, ninguém viveu nada igual, é uma série de interrogações que fica na nossa cabeça, a gente espera que seja um domingo muito bom, mas também fica com medo de investir alto”, observa Ana Paula.

Também proprietária de restaurante, Daniela Martins conta que está trabalhando um menu especial para o Dia dos Pais, com entrada, prato principal e sobremesa, já que não tem autorização para trabalhar com buffet. “Dia dos Pais não é a melhor data, mas é um bom faturamento e espero que isso realmente aconteça. Apesar da gente estar nessa nova adaptação, modelo de trabalho, a gente espera que o movimento seja bem satisfatório. Não vai ser o que foi no ano passado, mas a gente está se preparando para um movimento melhor que nos domingos anteriores”.

Ela também fala da limitação de pessoas por mesa. “A prefeitura flexibilizou um pouco (possibilitando mais de quatro quando forem da mesma família), porque hoje a maioria das famílias estão constituída de no mínimo cinco pessoas e as pessoas estão tentando colaborar. O público tem ajudado muito. Tem horas que não ficam muito felizes, mas entendem, os que estão preocupados entendem mais ainda e aí agradecem. O número de mesas também diminuiu bastante. Isso é o que mais está nos preocupando para o Dia dos Pais, para não permitir que cause aglomeração nas filas”.

A Prefeitura de Belém foi procurada pela reportagem para falar sobre as conversas com o setor e possibilidade de flexibilizar algumas medidas, mas respondeu apenas que permanecem as regras do Decreto e, pelo documento, o limite é de quatro pessoas por mesa. 

Gerente do Sebrae na Região Metropolitana, Leda Magno avalia que o atual cenário tem provocado, de uma certa forma positivamente, os empreendedores a repensar os seus modelos de negócios, o que não é diferente para o setor de alimentação, especificamente para bares e restaurantes. “A gente observou que foi necessária uma retomada segura, algumas empresas adotaram diferentes procedimentos, para que conseguissem não só atender o cliente dentro dos parâmetros de segurança, mas ao mesmo tempo oferecendo produtos e serviços adequados por esse novo contexto”.

Para o momento do Dia dos Pais, ela entende que é importante que o empreendedor permaneça na construção dessas estratégias. “Muitas delas funcionaram bem, por exemplo, a presença digital. As empresas precisavam se adaptar a esse novo contexto e começaram a comercializar por venda delivery e a partir desse momento conseguiram alcançar clientes novos, fidelizar clientes que já tinham estabelecido relacionamentos anteriores, também conseguiram agregar valor ao que já se fazia”.

Na área de bares e restaurantes, Leda diz que a instituição observou a construção de cardápios diferenciados. “Não necessariamente a construção de cardápios de alto valor agregado, mas sobretudo cardápios que atentam a esse momento do consumidor, que está em processo de isolamento social ainda e ao mesmo tempo com dificuldades, inclusive financeiras, oriundas de todo esse processo de pandemia. Esse cenário de ajuste no cardápio foi uma estratégia que potencializou ainda mais as vendas, porque a partir da construção de um cardápio que tem um valor agregado, mas que se adeque as preferências de consumo desse novo consumidor, ao mesmo tempo ao orçamento da sua empresa, você consegue oferecer um produto de qualidade, que tenha atratividade, mas ao mesmo tempo que gera valor a esse cliente. Isso é uma estratégia que deu muito certo e muitos restaurantes devem adotar para que consigam se destacar nesse cenário”.

Para o Dia dos Pais, Leda diz que a dica do Sebrae é: continue fortalecendo os canais digitais, incremente o cardápio dentro dessa preferência de consumo, e ao mesmo tempo continue se reinventando. “De repente, criar um cardápio específico para o Dia dos Pais, considerando que muitas famílias ainda vão almoçar em casa e que algumas pessoas vão sair para se alimentar nas lojas. Na presença física nas lojas, é importante ter atenção a alguns pontos de segurança que estão presentes inclusive nos protocolo de procedimentos que o Sebrae coloca à disposição”.

Em caso de dúvida de como fazer a adequação do ambiente e a comunicação com os clientes, é possível buscar orientações no endereço eletrônico: www.pa.sebrae.com.br.

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!