Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Preço do açúcar vendido em Belém tem aumento muito acima da inflação

Em seis meses, alta acumulada do preço do produto foi de cerca de 23% contra uma inflação de 3,95%

O Liberal

Pesquisas semanais realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em supermercados de Belém, mostram que no primeiro semestre deste ano (janeiro a junho), o preço do açucar teve alta de 23% contra uma inflação de 3,95% (INPC/IBGE). Segundo o levantamento, o quilo do produto do tipo refinado custava, em média, R$ 3,56, em dezembro de 2020, na capital paraense. No inicio deste ano (janeiro), foi comercializado em média a R$ 3,69; em maio, passou para o preço médio de R$ 4,42 e, no mês passado, (junho) foi comercializado em média a R$ 4,39.

Ou seja, mesmo com a queda verificada no mês passado (junho em comparação a maio), de 0,68%, o preço do produto encerrou o primeiro semestre deste ano com reajustes superiores a inflação.

Como no calculo da cesta básica a previsão de consumo mensal do Açúcar por trabalhador no Pará é de três quilos, o gasto total mensal de consumo do açúcar no mês passado (junho) foi de R$ 13,17 e o tempo de trabalho necessário para adquirir o produto foi de 02h38min, com um impacto em relação ao salário mínimo de 1,29%.

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA