Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Lavoura do Pará é a décima mais produtivas do país, diz ministério  

Algodão, café, milho, soja e trigo apresentam o maior VBP em 32 anos. As lavouras cresceram 11% e a pecuária, 6,2%

Sérgio Chêne / O Liberal

Dentre as 27 unidades da Federação, o faturamento da lavoura do Pará apareceu em décima posição no Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de 2021, com índice de 2,4%, em estudo divulgado pela Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Os valores foram calculados com base no mês de outubro passado. Em números absolutos, o estado paraense lidera na estimativa de safra agrícola e pecuária com um montante da ordem de R$ 26,7 milhões, seguido por Rondônia e Tocantins, que apresentam 19,8 milhões e 16,8 milhões, respectivamente. O VPB mostra a evolução do desempenho das lavouras e da pecuária ao longo do ano e corresponde ao faturamento bruto dentro do estabelecimento.

A produção bovina paraense é destaque dentre os sete estados nortistas que somam juntos R$ 30,8 milhões no estudo do Mapa, com referência aos dados do décimo mês do ano. Nesse bolo, o Pará faturou R$ 12 milhões, seguido por Rondônia com R$ 10,9 milhões. O estudo mostra que o estado paraense figura com bom desempenho entre estados como Santa Catarina (4,2%) e Bahia (4,1%). Mato Grosso, Paraná, São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina e Bahia é o ranking dos primeiros noves estados em relação ao VBP.

O VBP brasileira está projetado em R$ 1,1 trilhão para 2021, um crescimento de 9,9% em comparação a 2020 (que foi de R$ 1 trilhão). Algodão, café, milho, soja e trigo apresentam o maior VBP em 32 anos. As lavouras cresceram 11% e a pecuária, 6,2%. As lavouras representam 68% do valor total e a pecuária, 32%. Neste ano, os produtos com melhor desempenho são algodão, arroz, café, cana-de-açúcar, milho e soja, que juntos somam 87% do VBP das lavouras. Já os produtos com queda são amendoim, banana, batata-inglesa, feijão, laranja e mandioca.

No território nacional, os estados do Mato Grosso, Paraná, São Paulo e Rio Grande do Sul lideram o VBP deste ano. Dentre as regiões, o Centro-Oeste aparece com a maior riqueza na produção agrícola do País na ordem de R$ 365,9 milhões, seguido pelas regiões sul (R$ 314,1 milhões), sudeste (R$ 256,7 milhões), nordeste (R$ 98,8 milhões) e norte (R$ 71,2 milhões).

Os setores de carne bovina e frango foram os que mais apresentaram crescimento, em razão dos bons resultados no mercado interno e nas exportações. Até outubro, as vendas externas de carne bovina resultaram em um faturamento de US$ 16,89 bilhões. E a carne de frango, US$ 6,2 bilhões. Suínos e ovos apresentaram redução do VBP. Em relação ao prognóstico de 2022, as regiões produtoras devem ter normalidade, clima favorável e preços atrativos. A estimativa é de R$ 1,169 trilhão, 4,4% acima do valor projetado para este ano.

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA