Empreendedores ganham linha de crédito de R$ 2 mil a R$ 10 mil

Sebrae e Sicredi fecham parceria para gerar negócios

Eduardo Rocha

A partir desta sexta-feira (22), quem pretende investir em um pequeno negócio, como Microempreendedor Individual (MEI) em Belém, vai dispor de uma linha de crédito orçada em RS 6 milhões, sem juro e pagando 0,39% ao mês como custo da operação financeira. Esse o teor do convênio assinado, no começo da noite desta quinta-feira (21), por dirigentes do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Pará (Sebrae no Pará) e da Sicredi Norte Cooperativa de Crédito,  em Belém, como parte do Programa Acelera MEI, do Sebrae no Pará. A meta da instituições é atingir 5.500 MEIs em Belém, Ananindeua e Marituba até 2020.

O diretor-superintendente do Sebrae no Pará, Rubens Magno, destacou que a iniciativa preza pela geração de empregos e renda, colocar dinheiro no mercado. "Nós colocaremos entre R$ 2 e R$ 6 milhões no mercado, fazendo empréstimos de microcrédito de R$ 2 mil a R$ 10 mil em uma taxa subsidiada de 0,39%, muito baixa, ou seja, nós estamos falando apenas da Selic, que é uma cota social para esse crédito".

"O que nós queremos, na verdade, é fazer com que junto com o Governo do Estado, junto com o Sicredi, cada vez mais a gente consiga trazer desenvolvimento, renda e dignidade para o povo do Pará", observou Magno. Duzentos MEIs na Grande Belém deverão ser beneficiados no primeiro momento do programa. A partir desta sexta-feira (22), técnicos do Sebrae no Pará e do Sicredi atenderão aos MEIs na sede do Sebrae, no bairro do Umarizal. Os microempreendedores individuais serão capacitados pelo Sebrae no Pará e se tornarão cooperados para ter acesso ao crédito. No Pará, há cerca de 400 mil pessoas desempregadas.

O presidente do Conselho de Administração da Sicredi Norte, Carlos Amorim, disse que o prazo de pagamento do valor emprestado ao microempreendedor será de até 36 meses. Para Carlos Amorim, "nós vamos ajudar àquele que está começando, para crescer e também temos como apoiá-lo no crescimento". O diretor administrativo da Sicredi Norte, Amaury Dantas, salientou que "essa ação traduz a verdadeira interpretação de responsabilidade social em prol do pequenininho, ao MEI".

Letícia Oliveira, 47 anos, é dona de lanchonete e restaurante no bairro do Guamá. Ela atua como MEI há nove anos, "Eu vou aderir a essa linha de crédito porque com um empréstimo desse a gente consegue trabalhar tranquilo, e eu pretendo ampliar as minhas vendas". Lecy Garcia, ex-gestora do Sebrae no Pará e atual integrante da Sicredi, intercedeu em prol do convênio assinado nesta quinta. "o acesso ao crédito é um desafio para empreendedores, e quando se viabiliza uma taxa dessa e a capacitação oferecida se tem uma ambiência favorável a negócios do pequeno empreendedor".

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!