Consumidores comemoram nova redução do preço dos combustíveis em Belém

A partir de hoje (7), a gasolina e o diesel ficam 6,1% e 8,2% mais baratos, respectivamente

Daleth Oliveira
fonte

Ontem (6) a Petrobras anunciou uma nova redução no preço dos combustíveis para as distribuidoras. A partir de hoje (7), a gasolina e o diesel ficam 6,1% e 8,2% mais baratos, com descontos de R$ 0,20 e R$ 0,40, respectivamente. Em um posto de combustível do bairro do Marco, em Belém, os consumidores estão animados para os novos preços.

O servidor público Thiago Soares disse que a diferença de 20 centavos para cada litro vai fazer diferença nas contas no final do mês. “Toda redução é sempre bem vinda. Mas espero que esse desconto chegue até nós, consumidores finais. Mesmo uma queda pequena dessa, mas se for somar o gasto no final de mês, vai mexer na renda familiar. Sem falar que a gente sempre tem expectativa de que outras coisas que têm o preço influenciado pelos combustíveis fiquem mais baratos, como os alimentos”, falou animado.

O motorista José Maria também comemorou o anúncio. “Coisa boa para terminarmos o ano com mais economia, estamos precisando. Torço para que outros produtos e serviços fiquem mais baratos em decorrência disso”, declarou.

Novos preços

Para a gasolina, o valor passa de R$ 3,28 para R$ 3,08 por litro, uma redução de R$ 0,20. A estatal explica que, considerando a mistura obrigatória de 73% de gasolina e 27% de etanol anidro para a composição da gasolina comercializada nos postos, a parcela da empresa no preço ao consumidor será, em média, R$ 2,25 a cada litro vendido na bomba.

A estatal explica que, considerando a mistura obrigatória de 73% de gasolina e 27% de etanol anidro para a composição da gasolina comercializada nos postos, a parcela da empresa no preço ao consumidor será, em média, R$ 2,25 a cada litro vendido na bomba.

Com a redução, o diesel vai baixar de R$ 4,89 para R$ 4,49, uma queda de R$ 0,40. Levando em conta a mistura obrigatória de 90% de diesel A e 10% de biodiesel para a composição do combustível comercializado nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor será, em média, R$ 4,04 a cada litro vendido na bomba.

“Essas reduções acompanham a evolução dos preços de referência e é coerente com a prática de preços da Petrobras, que busca o equilíbrio dos seus preços com o mercado, mas sem o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações e da taxa de câmbio”, explica a estatal.

Preço nos postos

Sobre o repasse do desconto nas bombas, o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Estado do Pará (Sindicombustíveis Pará) disse por meio de nota que não existe correlação obrigatória entre os preços da refinaria da Petrobras e o dos combustíveis nos postos, pois isso depende do repasse das distribuidoras, do estoque das empresas e da decisão de cada uma.

“Toda redução de preços é interessante aos postos, pois elevam o volume de vendas. Porém, o combustível da refinaria é vendido para as distribuidoras, que adicionam os biocombustíveis e depois vendem aos postos. Estes atuam no último elo da cadeia, comprando combustível das distribuidoras. Portanto, dependem do preço praticado por essas para formar seu preço de venda aos consumidores”, esclarece a entidade.

É comum que algumas distribuidoras não reduzirem o preço de venda, ou reduzirem em montante muito menor, conta a nota. “Este aspecto é frequentemente informado ao Procon e Ministério Público, a quem cumpre fiscalizar eventual falta de redução nas Distribuidoras. Há inclusive notas técnicas da Agência Nacional do Petróleo que atestam ocorrência de absorção de lucro pelas Distribuidoras em momentos de redução na refinaria ante o não repasse de redução aos Postos”, finaliza.

Economia
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA