Brasileiros deixam de sacar R$ 7,52 bilhões em recursos esquecidos no sistema financeiro, revela BC

Apenas 27,85% do total de 60.492.862 correntistas incluídos na lista desde o início do programa resgataram valores a receber

O Liberal
fonte

O Banco Central (BC) divulgou nesta quinta-feira (7), em Brasília, que os brasileiros ainda não retiraram R$ 7,52 bilhões em recursos esquecidos no sistema financeiro até o fim de outubro. O Sistema de Valores a Receber (SVR) já devolveu R$ 5,31 bilhões de um total de R$ 12,83 bilhões disponibilizados pelas instituições financeiras.

As estatísticas do SVR, divulgadas com dois meses de defasagem, indicam que, até o fim de outubro, apenas 27,85% do total de 60.492.862 correntistas incluídos na lista desde o início do programa, em fevereiro do ano passado, resgataram valores, totalizando 16.847.044 beneficiários.

VEJA MAIS

image Banco Central avalia rever ganho da poupança
Modalidade é o investimento mais popular entre os brasileiros

image Drex: entenda como irá funcionar a nova moeda digital brasileira
Primeira moeda virtual brasileira está sendo desenvolvida pelo Banco Central (BC)

Entre os que já efetuaram o resgate, 16.035.064 são pessoas físicas e 811.980 são pessoas jurídicas. Por outro lado, 40.583.355 pessoas físicas e 3.062.463 pessoas jurídicas ainda não realizaram o saque.

Apenas 1,68% tem direito a receber mais de R$ 1 mil

Os valores a receber de até R$ 10 concentram 62,98% dos beneficiários, enquanto valores entre R$ 10,01 e R$ 100 correspondem a 25,71%. Quantias entre R$ 100,01 e R$ 1 mil representam 9,64%, e apenas 1,68% tem direito a receber mais de R$ 1 mil.

Após quase um ano fora do ar, o SVR foi reaberto em março de 2023, apresentando melhorias significativas, como a impressão de telas e protocolos de solicitação para compartilhamento no Whatsapp. O sistema agora inclui também a possibilidade de resgate de valores de pessoas falecidas.

Além disso, a fase atual do SVR traz uma sala de espera virtual, permitindo que todos os usuários consultem no mesmo dia, sem a necessidade de um cronograma por ano de nascimento ou de fundação da empresa.

Outras melhorias abrangem a consulta a valores de pessoa falecida, com acesso para herdeiros, testamentários, inventariantes ou representantes legais. O sistema também proporciona mais transparência para contas conjuntas, permitindo que um dos titulares visualize informações, como valor, data e CPF, se o outro solicitar o resgate de um valor esquecido.

Adicionalmente, foram incluídas novas fontes de recursos esquecidos, como contas de pagamento pré ou pós-pagas encerradas, contas de registro mantidas por corretoras e distribuidoras encerradas, e outros recursos disponíveis nas instituições para devolução. O SVR abrange ainda valores já disponíveis para saques no ano passado, como contas-corrente ou poupança encerradas, cotas de capital e rateio de sobras líquidas de ex-participantes de cooperativas de crédito, recursos não procurados de grupos de consórcio encerrados, tarifas cobradas indevidamente e parcelas ou despesas de operações de crédito cobradas indevidamente.

Entre no nosso grupo de notícias no WhatsApp e Telegram 📱
Economia
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA