Black Friday: flagrante em loja de departamento reforça atenção em estabelecimentos comerciais

Vídeo que expõe funcionária colando etiquetas de promoção com o mesmo valor do produto demonstra que a prática também ocorre em lojas físicas

Redação Integrada

Assim como o Halloween, o Brasil importou também a Black Friday (Sexta-Feira Negra) dos Estados Unidos. Na prática, nesta data, o comércio varejista oferece produtos com grandes descontos e muitos já aproveitam para fazerem as compras do natal. Porém, é preciso cautela.

“Dois pontos principais precisam ser levados em consideração. O primeiro é excluir as compras por impulsos, que é quando uma pessoa compra algo que nem se quer precisa, simplesmente porque está barato. E a segunda é como não cair em golpes”, ressalta Fabrizio Gueratto, Financista do Canal 1Bilhão Educação Financeira.

Apesar das pessoas acharem que os golpes estão só na internet, em um vídeo que circula nas redes sociais, uma funcionária de uma loja de departamento cola etiquetas de promoção com o mesmo valor do produto, demonstrando que a prática também ocorre em lojas físicas. Veja:

Confira as dicas:

– Listar o produto que você precisa ou deseja adquirir e começar a fazer pesquisas prévias, para saber o valor cobrado atualmente, tanto em lojas físicas quanto em sites.

– Evitar comprar por impulso ou fazer a compra sem outras pesquisas de preço.

– O diretor do Procon-SC, Tiago Silva, alerta para desconfiar de preços extremamente abaixo do valor de mercado de determinado produto e também de sites sem procedência. “Não existe almoço grátis”, frisa.

– Não estourar o orçamento para o Natal ou aproveitar esse período com compras atrativas para antecipar os presentes.

– Conferir a política de troca: no caso das lojas físicas, não existe o direito de arrependimento (na internet, sim). Nesse caso, é importante consultar no momento da compra como funciona o programa de troca do estabelecimento, principalmente se for presente.

– Verificar também o prazo da entrega. Quando é muito longo, pode indicar que o produto não exista mais em estoque e pode causar cancelamento futuro do pedido pela empresa.

– Nas lojas físicas, manter o cartão de crédito sempre em vista no ato da compra.

– Sempre pedir nota fiscal. Se houver problemas, é a nota que dá direito de ir até o Procon registrar uma reclamação.

Fontes: Procon da Prefeitura de Florianópolis e Procon Estadual de Santa Catarina (Procon-SC).

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!