Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Banco da Amazônia amplia recursos do Plano Safra 2022/2023 para R$ 9 bilhões

Segundo a instituição, R$ 5 bilhões será para pequenos produtores e R$ 4 bilhões para médios e grandes

Natália Mello

O Banco da Amazônia anunciou, nesta sexta-feira (1°), durante o lançamento do novo Plano Safra 2022/2023, a ampliação de R$ 7 bilhões para R$ 9 bilhões em recursos para estimular o crescimento do setor agropecuário em toda a Amazônia. De acordo com a presidência da instituição financeira, R$ 5 bi serão destinados para pequenos agricultores, e os outros R$ 4 bi vão voltados para o incentivo à produção de médios e grandes produtores. O plano vigora a partir deste primeiro dia de julho até dia 30 de junho do próximo ano.

“É um volume representativo, representa cerca de 40% do volume de recursos que o agronegócio financia na região amazônica, isso demonstra que o Banco da Amazônia é um líder do agro na região, exercendo uma liderança na Amazônia. A nossa afinidade, a nossa missão é estar auxiliando os empreendedores, sendo eles da área rural ou urbana, buscamos ajudar produtores, cooperativas e associações”, analisou o presidente do Banco, Valdecir Tose.

No último plano Safra (21/22), o Basa aplicou 33,7% a mais em recursos do que no ano anterior (20/21). De acordo com o gerente de Pessoas Físicas do Basa, Luiz Lourenço de Souza Neto, este desempenho foi muito acima da meta estabelecida. “Foram quase 2,7 bilhões acima da nossa meta, o que reforça a atuação do Banco para o fortalecimento do segmento na economia brasileira”, informou Luiz. Nas últimas cinco safras, o Banco aplicou R$ 28 bilhões no agronegócio regional.

De acordo com o Banco, a meta é aumentar as aplicações a cada safra, por isso, vem sendo facilitado o acesso por meio de linhas de investimentos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), através do Basa Digital, que já contempla mais de 13 mil e 300 operações. Somente no último plano safra, foram contratados mais de R$ 179,8 milhões de crédito, em custeio agrícola, custeio pecuário e no Pronaf 2.

A produtora de suinocultura Márcia do Nascimento, de 35 anos, atua na comunidade quilombola do Tipitinga, localizada no município de Santa Luzia do Pará. Essa é a segunda vez que ela é beneficiada pelo Plano Safra, desta vez com um recurso de R$ 5 mil, o que tem ajudado a pequena agricultora a investir tanto na criação de suínos, quanto na plantação de hortifrúti.  

“Me ajudou a investir também no roçado, né? Porque eu trabalho de roça, e a gente também faz outros tipos de plantações, porque o esse é o perfil do banco. Aí plantamos árvores, podemos ter outras culturas, então a gente planta açaí, banana, coco, até para ter outra alimentação e também para vender”, diz a pequena produtora, que trabalha com a família desde 2005 na região.

Marta Corrêa Rodrigues, de 61 anos, trabalha sozinha no município de Marituba, e é a terceira vez que tem o financiamento aprovado pelo Banco. Ela é avicultora há pouco tempo, mas vem conseguindo ampliar a área de criação de aves no bairro de Bela Vista. “Agradeço primeiro a Deus, mas a gente, sem o dinheiro, não consegue fazer nada, ainda mais hoje em dia como está tão difícil a situação. Crio para consumo e para venda, e esse financiamento me ajuda muito”, finaliza.

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA