Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Aumento no preço das frutas natalinas deixam a ceia de Natal mais cara em Belém; aponta Dieese

Os valores dos produtos estão sofrendo impacto direto da alta do dólar

O Liberal

Faltando cerca de três semanas para o natal, os aumentos nos preços das frutas de época natalina, principalmente as importadas, vão contribuir decisivamente para a compra dos produtos para a Ceia de Natal dos paraenses em 2021.

No caso específico das frutas de época importadas, o preço ao consumidor está sofrendo impactos diretos da alta do dólar em relação ao mesmo período do ano passado. Atualmente, o dólar está sendo cotado em torno de R$ 5,60.

De acordo com pesquisas feitas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/ Pa), realizado no final de novembro, mostram a tendência de alta destes produtos. A pesquisa teve como base os preços de frutas de época, nacionais e importadas, comercializadas nas maiores redes de supermercados da Grande Belém. A conclusão é que os aumentos nos últimos 12 meses, foram quase generalizados, com percentuais bem superiores à inflação que gira em torno de 11,5% para o mesmo período.

Entre as frutas de natal importadas que estão sendo comercializadas nos supermercados de Belém que apresentaram os maiores reajustes de preços nos últimos 12 meses, estão:

Ameixa seca sem caroço (kg):  comercializado, em média, a R$ 56,02 com um reajuste acumulado de 59,37%

Amêndoas c/casca (kg): comercializado com o preço médio de R$ 23,16 com um reajuste acumulado de 40,45%

Maçã verde importada (kg):  custando, em média, R$ 16,82 com um reajuste acumulado de 32,55%

Pêra D’anjour (kg):  comercializado, em média,  a R$ 14,66 com um reajuste acumulado de 12,42%

Maçã Argentina (kg): custando, em média, R$ 15,74 com um reajuste acumulado de 11,24%

Nozes com casca (kg):  custando, em média, R$ 46,53 com um reajuste de 5,87%

Passas Escuras sem semente (kg):  custando, em média, R$ 20,73 com um reajuste de 2,42%

O levantamento do Departamento Intersindical aponta também que outros produtos de época já estão à disposição dos consumidores com preços bastante elevados, como é o caso da castanha portuguesa, damasco seco turco, figo, tâmara e as uvas importadas.

(Por Luciana Carvalho, estagiária, sob supervisão de Keila Ferreira, Coordenadora do Núcleo de Política)

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA