Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

'Travessia': nova novela de Glória Perez aborda crimes virtuais; confira

Em coletiva de imprensa a escritora explicou mais sobre a trama; elenco está animado após gravações no Maranhão

Emanuele Corrêa

Travessia, novela escrita por Glória Perez para a TV Globo tem previsão de estreia para outubro deste ano, substituindo Pantanal, no horário das 21h. Em coletiva de imprensa realizada na manhã desta sexta-feira, 9, a equipe técnica e elenco do núcleo Maranhão, reuniram-se, virtualmente, para conversar com jornalistas de todo o Brasil sobre as gravações e temáticas abordadas no folhetim. A equipe da Redação Integrada de O Liberal acompanhou o bate-papo.

Glória destaca que "Travessia" aborda temáticas atuais, traz personagens fortes e marcantes como suas demais tramas, no entanto, está localizada em um momento histórico do agora. "Temos que lembrar que todas as gerações sentiram isso, só que o salto de agora é maior, essa geração que estamos vivendo ela está entre o tempo 'passado' e o tempo 'futuro'. Por isso 'Travessia'... Do tempo, de que forma essas pessoas serão tocadas pela travessia, por isso a novela se chama assim", ressaltou a escritora.

Além de Glória, o diretor da novela Mauro Mendonça Filho, também participou da coletiva com os protagonistas da trama: Lucy Alves, intérprete de Brisa e Chay Suede, que dá vida a Ari. Drica Moraes, Marcos Caruso, Camila Rocha (Amor de Mãe) e Priscila Vilela que fará sua estreia no horário nobre da TV aberta, também falaram sobre suas personagens.

"A Brisa é uma personagem que me chamou muita atenção. Ela é uma mulher muito forte. É minha primeira grande protagonista, é uma honra estar na obra da Glória, com uma grande equipe", arguiu Lucy Alves.

A atriz paraibana destacou que as personagens das tramas de Glória Perez são fortes e analisou as suas semelhanças e diferenças em relação a Brisa. Lucy, assim como o público, irão conhecê-la melhor com o tempo, pois as gravações já iniciaram, mas ainda não podem revelar grandes detalhes do roteiro. "Costumam ser mulheres muito fortes, características que são preservadas nas protagonistas. Eu também tenho surpresas que estou descobrindo. A Brisa é menos preocupada do que eu. Ela enfrenta de maneira espontânea. Ela sofre, ela é um ser humano, tem suas fragilidades e dores, mas ela combate de uma maneira natural, ela 'só vai'. Eu estou curiosa para descobrir as nuances que vão surgir no decorrer da novela", finalizou a atriz.

Brisa e Ari, personagem de Chay Suede estão de casamento marcado no começo da novela. Contudo, após o jovem realizar uma viagem do Maranhão ao Rio de Janeiro, deixando a futura esposa sem notícias, ela vai ao encontro do rapaz e no terminal rodoviário do RJ é acusada de sequestrar crianças. O hacker Oto (Rômulo Estrela) a socorre e descobre que ela foi vítima de deepfake - recurso de inteligência artificial para trocar rostos, utilizado em vídeos com manipulação de áudios.

"Não se vai ter um criminoso, vamos mostrar como as velhas modalidades de crimes se renovaram, justamente pela possibilidade que a internet dá. Nesse caso a pessoa fez 'uma brincadeira' com aplicativos. Mas onde você põe esse rosto vai impactar essas pessoas. A fofoca é natural do ser humano, mas a internet dá uma proporção que chega ao mundo todo", declarou Glória Perez, ao abordar o assunto de crimes virtuais.

Drica Moraes reforçou o discurso e disse que: "no mundo das fake news, não é brincadeira, é crime. Estamos deixando claro que estamos falando de crime". Sobre os arquétipos de vilã, que a "Núbia", personagem de Drica está assumindo, ela conta que na trama de fato não há vilões, e sim antagonistas, pois há uma trajetória dessas personagens, que também será contada. "Arquétipo da mãe possessiva, que não é necessariamente boa ou má. A Glória diz algo muito interessante, não existem vilões nesta novela, mas há antagonistas. Fala muito de mulheres sobreviventes, resiliência. O sofrimento te dá uma casca. A Núbia pode ter essa cara de vilã, devido às conquistas que teve que ter sozinha na vida, então ela tem 'certezas absolutas' e é a grande vilania dela, e ainda mais no mundo digital. Ela não é uma vilã, ela é uma sobrevivente. Mas do jeito que estamos levando ela, ela tem muito humor", concluiu.

Questionado sobre seu personagem e a paternidade na trama, Chay destacou que a paternidade que ele pratica na vida real é completamente diferente do seu personagem, mas a paternidade é só um dos pontos de Ari. "O Ari pode ser lido como um cara volátil ou apaixonado. Ele é do agora, então, se ele está ouvindo alguém falar, um professor falar, ele quer ouvir mais. Se ele está com a Brisa, só existe ela. Chega a ser até infantil. A paternidade dele eu procurei não julgar, mas compreender, porque é um dos pontos que mostra a sua psique, quem ele é", finalizou.

As primeiras cenas de Travessia foram todas gravadas no Maranhão. A história é de Glória Perez, a direção artística é de Mauro Mendonça Filho, direção de Walter Carvalho, Andre Barros, Mariana Richard e Caio Campos. Claudio Dager e Tatiana Poggi fazem a produção e a direção de gênero é de José Luiz Villamarim.

Palavras-chave

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CULTURA

MAIS LIDAS EM CULTURA