Gaby Amarantos empresta sotaque paraense para animação infantil

A cantora está dublando a personagem Engine Gui na animação "Ico Bit Zip" da Nat Geo Kids

Bruna Lima

O gingado e a voz marcante da cantora paraense Gaby Amarantos começa a invadir o universo infantil com a nova série animada "Ico Bit Zip" da Nat Geo Kids. A cantora foi convidada para dublar a personagem Engine Gui e também fazer a música de abertura. A série estreia nesta segunda-feira, 9, às 12h40. Veja o trailer abaixo:

É a primeira vez que Gaby Amarantos faz um trabalho voltado para o público infantil. Apesar de ter um filho ainda criança ela disse que é um desafio diferente, porém, legal. "Eu não fazia a menor ideia de como seria esse trabalho, pois é algo bem diferente do universo que eu transito, mas no final deu tudo certo", disse a cantora.

Gaby empresta sua voz para Engine Gui, que é uma personagem alegre e contagiante, é uma espécie de MC que promove algumas gincanas. Para dar voz à personagem, ela disse que usou sua própria nuance de voz e fez questão de colocar o vocabulário paraense em suas falas. "Coloquei um pouco do Pará dentro do universo da minha personagem, pois nós temos uma forma de falar marcante e própria", completa a artista, que já gravou três episódios.

A série é uma animação infantil que tem o objetivo de ensinar às crianças a maneira correta de fazer buscas na internet e fornecer as ferramentas necessárias para aprender a usar as tecnologias digitais com segurança e responsabilidade.

De acordo com Rodrigo Soldado, do Copa Studio, criador da série, quando a equipe deu início à série o objetivo é que fosse divertida, educativa, mas que não ficasse presa somente as respostas. "Queria um enredo que ensinasse um bom uso da ferramenta, da tecnologia, do celular, por exemplo. O objetivo é mostrar que pesquisa dá trabalho, mas vale a pena. É recompensador quando você encontra a resposta correta. No cenário que vivemos hoje, se Ico Bit Zip for uma mãozinha contra fake news, eu já estou realizado. No fundo, a série fala sobre questionar, duvidar, buscar novas fontes", explica. 

Camila Luppi, coordenadora de produções originais da National Geographic, acrescenta que a recompensa nem sempre é ganhar, mas sim aprender. "O que interessa é o processo de pesquisa e não só o resultado em si", destaca. A série se passa na Nuvem, ou seja, dentro da internet. Mas a equipe não queria comprimir esse mundo, não queria que fosse parecido com "estar dentro de um computador", diz Salgado. Então a Nuvem se parece muito com o mundo real, com natureza, cidades, fundo do mar. 

"É um lugar super amplo, colorido e muito bonito de explorar. Os personagens principais representam os algoritmos, de certa forma, pois cada um tem uma especialidade. Um dos mais fáceis de entender é o Tchuco, cuja especialidade é o tema gatos, e todo mundo sabe que gatos e internet têm tudo a ver. Os habitantes da Nuvem são os Nários, um monte de 1 e 0, que representam o código binário, a linguagem dos computadores" explica Salgado.

A primeira temporada tem 26 episódios: a primeira leva, composta por 13 episódios, estreia no nesta segunda-feira (9) e os próximos, em 2020. Na primeira temporada, o público vai conhecer Ico, a pesquisadora cujo diferencial é a curiosidade.

Televisão
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!