Após atentado contra Gabriel, série de mortes agita a trama de "O Sétimo Guardião"

Um assassino misterioso vai dar cabo de pelo menos três guardiães: Machado, Feliciano e Milu

O tiro deflagrado por Sampaio em Rafael foi só o primeiro de muitos acontecimentos misteriosos que começam a agitar a trama de "O Sétimo Guardião". Embora seja o primeiro a sofrer atentado contra a sua vida, o protagonista da trama vai escapar da morte, ao contrário de alguns de seus amigos de irmandade. Uma série de assassinatos passará a deixar os moradores da pacata cidade com medo.

Pela segunda vez, Luz (Marina Ruy Barbosa) vai salvar a vida de Gabriel (Bruno Gagliasso). Assim com aconteceu no começo de "O sétimo guardião", a ruiva tira o ex-noivo do coma em que cairá após ser baleado. Luz vê Léon no seu quarto e o segue da mesma forma que fez no primeiro capítulo da novela. De camisola, ela segue até o casarão e vai até o escritório, onde Gabriel está sendo tratado.

Judith (Isabela Garcia) está sentada numa cadeira dormindo. Luz vai até a cama de Gabriel, olha para ele um instante... E então, devagar, passa a mão nos lábios dele, se inclina e o beija, de leve, como na história (invertida) da Bela Adormecida. E aí, como no final do primeiro capítulo, Gabriel desperta, aspirando o ar com toda força e abre os olhos.

O assassino misterioso vai matar suas vítimas envenenadas. Machado (MIlhem Cortaz) e Feliciano (Leopoldo Pacheco) serão assassinados com cianureto e não haverá cena de enterro. Sinal de que podem voltar a qualquer momento. O corpo do delegado será levado pelo perito para Greenville, Rita de Cássia (Flávia Alessandra) foge com medo de também ser morta, e ninguém vai comentar sobre enterro ou velório. O cadáver de Feliciano também vai ser levado para a cidade vizinha e nem os melhores amigos dele cogitam fazer algum funeral.

Feliciano vai morrer depois de sair embriagado do cabaré de Ondina (Ana Beatriz Nogueira). Ao olhar para a Lua imensa no céu, ele começa a divagar: "Marlene, ah, Marlene... Porque é que você foi fazer isso comigo?". "Corta para o ponto de vista de alguém não identificado observando Feliciano ao longe. E desse ponto de vista vemos Feliciano que sai caminhando, aos tropeções, até desaparecer por entre a bruma da noite", escreveu o autor Aguinaldo Silva no roteiro da cena.

Na cena seguinte, padre Ramiro (Ailton Graça) chega de manhã cedo para abrir a igreja e leva um susto ao ver Feliciano deitado com um fiapo de sangue escorrendo da boca. Ele se abaixa e vê o bilhete no peito do morto: "Faltam cinco!".

Milu (Zezé Polessa) vai ser a terceira guardiã a ser assassinada. A esotérica some numa madrugada e é encontrada morta por Murilo (Eduardo Moscovis), que usa seu faro felino para localizá-la. Milu é achada em cima de pétalas de rosas em uma cabana abandonada na mata, com um filete de sangue escorrendo da boca e um bilhete preso no peito: "Faltam quatro".

Assim como os outros guardiães assassinados antes de Milu, ela também não será enterrada. Ondina (Ana Beatriz Nogueira) até cogita providenciar velório e enterro para a amiga, mas Sampaio (Marcello Novaes) - que vira delegado de Serro Azul - a impede, dizendo que nada pode ser feito até o corpo ser liberado pelo pessoal da perícia.

Apesar da morte de Milu, Zezé Polessa não vai ser dispensada após gravar a morte da personagem. Aguinaldo Silva mandou um recado no final do capítulo em que a esotérica será encontrada morta. "Ah, sim, só para constar: Milu vai voltar", escreveu. Não se sabe ainda como o autor vai trazer Milu de volta, mas a personagem vai aparecer sorrindo numa bola de cristal depois de seu assassinato.

Televisão