Simpatias e banhos especiais ajudam a encontrar o par perfeito no mês dos namorados

Confira as dicas da erveira Beth Cheirosinha e da mãe de santo Mametu Nagentu

Ana Carolina Matos

Em uma das épocas mais divertidas do ano, as tradicionais "mandingas" e simpatias dedicada aos santos da quadra junina ajudam quem está solteiro a arrumar um par no mês dos namorados.

Às vésperas do dia de Santo Antônio (13 de junho), além de São João (24 de junho) e São Pedro (29 de junho), o #LibCult (projeto que une a matéria do jornal impresso ao vídeo em O Liberal.com) ouviu uma erveira do Ver-o-Peso e uma mãe de santo, que dão as dicas para quem não quer terminar o mês solteiro.

Com uma mistura de ervas como manjericão, dinheiro em penca, abre caminho, chama dinheiro, alecrim de angola, chega-te a mim e até um pouco de patchouli (para dar um cheirinho bom), Beth Cheirosinha ensina como fazer um tradicional "Banho de São João", que une diversos pedidos em um só.

Em um vasilhame, Beth explica que as ervas devem ser cortadas e maceradas em uma boa quantidade de água. "Isso tudo tem que ir fazendo com orações positivas, aí vai se concentrando, pensando em coisa boa, levanta o astral, atrai a sorte, a felicidade... Tudo de bom!", afirma, com a animação que lhe é característica.

O banho é poderoso, garante ainda a erveira que trabalha há 53 anos no Mercado do Ver-o-Peso. "Atrai a sorte, a felicidade, dinheiro, amor, tira as energias ruins... Esse banho pode usar pra ir pra balada, pra festejar São João. Se for Santo Antônio, usa com intenção de arrumar um namorado, arrumar um amor.

Depois do banho também pode usar o atrativo do amor, que é um composto exclusivo que eu faço", destaca ela, que tem uma tradição de cinco gerações de erveiras na família e garante que o ofício já está sendo repassado por ela a filhos e netos.

O conhecimento de Beth Cheirosinha impressiona. A mulher de 68 anos sabe de cor o nome de uma infinidade de ervas que tem em sua barraca. Os vidrinhos coloridos chamam atenção de quem passa, seja para tirar fotos no bonito cenário ou pela curiosidade em saber o que os pequenos potes trazem de tão importante. 

A mãe de santo Mametu Nagentu também dá dicas para se encontrar o amor neste mês de junho (João Ramos/O Liberal)


SIMPATIAS

Com grande experiência em simpatias do amor, a mãe de santo Mametu Nagentu, de 73 anos, também compartilha o passo-a-passo de algumas receitas para fisgar os corações mais duros no #LibCult desta semana.Com grande experiência em simpatias do amor, a mãe de santo Mametu Nagentu, de 73 anos, também compartilha o passo-a-passo de algumas receitas para fisgar os corações mais duros no #LibCult desta semana.

Com uma maçã, uma faca, um pedaço de papel, mel e um pé de "Vai Buscar Longe", ela ensina uma simpatia que é "tiro e queda". O material é usado para conseguir a atenção de quem se ama. "Vou pedindo permissão da natureza, que eu cultuo. Faço com a maçã porque nós temos uma entidade que é a deusa do amor", explica ela, que corta a maçã ao meio e faz um pequeno buraco dentro da fruta para encaixar o papel com o nome do alvo. "Pego o nome da pessoa, pego o mel e vou adoçar esse nome", acrescenta Mametu, que após terminar o processo com a fruta, enterra a maçã no pé da planta 'Vai Buscar Longe".

Muito usado em rituais de candomblé, o obi, também conhecido como Noz-de-cola, também entra nas receitas ensinadas pela mãe de santo. Cuidadosa, ela explica que abre a "boca" do fruto com uma faca e coloca um papel com o nome do amado ou da amada. Em seguida, é a hora de amarrar o pequeno obi com várias voltas de uma linha e, claro, sempre pensando no nome de quem se ama durante todo o processo. 

"Vou pedindo força do obir no meu corpo, que seja recebido na natureza pra me dar um amor, um homem bom, uma boa mulher. Então vou abrir com muito cuidado e vou colocar o nome dele aqui e depois eu vou amarrar bastante pensando nele pra que não tenha pensamento nem coração enquanto não vir me procurar. Depois disso, eu planto", explica. O resultado, segundo Mametu, é certo: "Já fiz várias vezes e acho muito bom. Sempre deu certo", ressalta. A simpatia também termina com o fruto sendo enterrado aos pés da planta.

Ela conta que os pedidos de simpatia do amor são feitos durante o ano inteiro, assim como pedidos de outra natureza. "O terreiro é um local de acolhimento. A gente acolhe não só pedido de amor, mas de saúde, de equilíbrio. Sou benzedeira, sou parteira. Sempre o terreiro está acolhendo essas pessoas, mas no mês de junho, especificamente, a gente tem uma tradição, também indígena, de trabalhar com folhas, com as raízes, com as batatas...", detalha Mametu.  

O sincretismo religioso tem Santo Antônio como Ogum para as casas de candomblé. Já São João é conhecido como Xangô, o Deus da justiça, o que para a mãe de santo não é coincidência e é importante para pedidos como amor, por exemplo, para que não haja problemas. "Sou uma mulher muito correta nessas questões. Nossas orixás, nossos deuses não fazem nada se a pessoa não tiver merecimento. Então eles só dão pra gente o que nós merecemos e todo o ser merece o melhor", conclui.

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!