Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Os Tapetes Contadores de Histórias viajam por Belém, Marabá e Igarapé-Miri

Projeto visita pela primeira vez o Estado do Pará

Redação Integrada

Contação de histórias com tapetes tridimensionais chega ao Estado do Pará com o projeto Peraltagens do grupo “Os Tapetes Contadores de Histórias”, a partir de hoje, dia 1º. O grupo carioca de contação de histórias realizará apresentações em Belém, Igarapé-Miri e Marabá. Em cada cidade, haverá sessões de contação de histórias e exposição interativa com os tapetes costurados abertas ao público em geral, além de sessões agendadas para escolas públicas.

O grupo com 24 anos de existência costura tapetes que já se transformaram em 120 cenários para contar histórias para crianças e jovens de uma maneira totalmente diferente. Esse jeito de contar histórias já fez o grupo ser conhecido por todo o mundo com contos de tradição oral de origem africanos, orientais, latino-americanos e brasileiros. O Grupo também apresenta autores consagrados como Carlos Drummond de Andrade e Graciliano Ramos.

Pela primeira vez no Pará, o curador e coordenador do projeto, Warley Goulart, se admira com a grandiosidade do país que ainda não havia permitido chegar ao Pará. “É impressionante como o nosso país é um continente, ainda não havíamos chegado aqui. A gente sendo artista que vive da arte temos que ir aonde podemos ter renda. Para você ter ideia, pelo fato do grupo falar outras línguas, já nos apresentamos na França, no Peru e no México, e percorremos outras localidades. Nosso país é muito grande, e é por uma questão financeira mesmo nunca tínhamos vindo aqui. Agora com o patrocínio pela lei federal de incentivo à cultura conseguimos”, destacou.

O projeto tem patrocínio do Instituto Cultural Vale, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, e com o apoio institucional do Sesc Pará e do Movimento de Contadoras e Contadores de Histórias da Amazônia (Mocoham).

“Os Tapetes Contadores de Histórias” é formado por três artistas brasileiros e três artistas peruanos, que há duas décadas costuram tapetes, painéis, livros e caixas de pano, e se enveredam pelo mundo mágico de contação de histórias.

No total 40 cenários estarão expostos para quem quiser conhecer mais de perto o trabalho do grupo. Para as apresentações, o grupo escolhe o que irá mostrar apenas poucos minutos antes de entrar no palco. De acordo com a faixa etária do público o grupo vai escolhendo e narrando os contos.

“Olha a gente é até muito conhecido como hipnotizadores de crianças. A gente trabalha com material que nós mesmos costuramos e criamos. As crianças percebem que ali tem uma memória nesse material, que não é adquirida por compra, cada peça é única, cada cenário é único. Eles são lindíssimos. Nós somos contadores de histórias há muito tempo, já sabemos a diferença de uma criança de uma idade para outra”, revela Warley.

Além de contar suas histórias, o grupo irá realizar oficinas e participar de imersões na cultura regional para também ouvir outros grupos, e as histórias da Amazônia. O grupo carioca já participou de um evento promovido pelo Mocoham no ano passado. Agora no Pará, Warley já visitou algumas comunidades de Belém para conhecer a cultura local. “Cada local que a gente vai tem uma tradição específica, fui para o Marajó escutar histórias, e dei um pulo em Mosqueiro também. Dizemos que uma das qualidades de você ser um bom contador de histórias é ser um bom ouvinte. Você precisa ser um bom ouvinte”, detalha.

Agenda no Pará - A primeira atividade do grupo é em Belém, de 1º a 14 de agosto no Sesc Ver-o-Peso, localizado na avenida Boulervard Castilho França, no bairro da Campina. Nos fins de semana, as apresentações do projeto Peraltagens serão realizadas para toda a família, com sessões aos sábados e domingos, às 10h e 11h. As senhas de acesso ao teatro serão entregues com uma hora de antecedência.

Com agendamento prévio, as escolas públicas de Belém participarão do projeto de terça a sexta, às 10h e 15h, diariamente. Todas as quintas às 15h, haverá sessão com intérprete de libras.

Em Igarapé Miri, as sessões de contação de histórias e da exposição interativa com os tapetes costurados começam a partir de 20 de agosto e se estendem até o dia 4 de setembro na barraca de Sant'Anna. A visitação será de terça a domingo, no horário das 10h às 18h. Para as escolas previamente agendadas, as sessões serão de terça a sexta-feira, às 10h e 15h. Às quintas-feiras, 15h, será a sessão de contação de histórias acompanhadas com intérpretes de libras.

A agenda encerra na cidade de Marabá, no sudeste paraense, já no mês de setembro, de 10 a 24 de setembro, na unidade do Sesc de Marabá, com visitação aberta da terça a sábado, das 10h às 18h. As escolas agendadas serão recebidas de terça a sexta-feira, no horário de 10h e 15h e as quintas-feiras, 15h, sessões com intérpretes de libras.

 

Serviço

Exposição e Contação de Histórias Peraltagens do grupo Os Tapetes Contadores de Histórias do Rio de Janeiro

Quando: Belém (1º a 14 de agosto de 2022), Igarapé-Miri (20 de agosto a 4 de setembro) e Marabá (10 a 24 de setembro)

Patrocínio: Instituto Vale Cultural via Lei de Incentivo à Cultura

Parcerias: Sesc Pará e Mocoham

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CULTURA

MAIS LIDAS EM CULTURA