Nilson Chaves lança duas canções em homenagem a Belém

“Bela Belém” e “Das Mangueiras” foram disponibilizadas no site do artista e hoje, 12, serão lançadas em todas as plataformas digitais de música.

Redação integrada

Sendo um dos maiores embaixadores das belezas de Belém pelo mundo, descrevendo a cidade por meio de suas canções, Nilson Chaves não poderia deixar de homenagear a cidade quando ela chega aos seus 405 anos. Por isso, o cantor e compositor lançou dois singles simultâneos, cada um apresentando uma visão diferente sobre a capital dos paraenses. “Bela Belém” e “Das Mangueiras” foram disponibilizadas no site do artista, e no dia do aniversário da cidade, 12 de janeiro, serão lançadas em todas as plataformas digitais de música.


A novidade desta vez é que, ainda que a voz nas canções seja de Nilson Chaves, as letras foram feitas por parceiros de outros estados, que compuseram sobre as emoções que sentiram ao visitarem a mangueirosa. “Eles trouxeram uma nova abordagem em relação à vida em Belém. Cantar a minha cidade, este chão, as nossas águas passando, a nossa gente, é algo que sempre me move e me inspira. Acho que as duas canções traduzem bem, cada uma a seu modo, a Belém cheia de vida, de mistérios e singularidades”, completa.


Bela Belém é uma composição de Zé Edu Camargo, mineiro de Belo Horizonte que veio ao Pará e se encantou tanto com a cidade que deu de presente a ela uma canção de um lirismo delicado e sensível. A melodia brinca com as aliterações, dando cor às cenas que se sucedem na letra. “É uma canção de amor à cidade, que se revela aos poucos, em retratos no tempo e no espaço. Acho que muitos paraenses que hoje vivem fora, em outros estados ou mesmo no exterior, irão se identificar. Mas quem mora aqui também verá seu rosto refletido, tenho certeza”, diz Nilson Chaves.


A canção Das Mangueiras é composição de Osmar Lazarini, o Sonekka, e segundo Nilson, fala de Belém de um jeito mais “prático”. O paulista descreve uma cidade cosmopolita, mas ciente de suas raízes, na visão de alguém que a visita pela primeira vez. “Belém vive no imaginário dos brasileiros, mas nada se compara à avassaladora experiência de vivenciar a cidade pela primeira vez. É tudo tão vívido, tudo tão intenso e, ao mesmo tempo, tudo tão sólido. A letra traduz este sentimento que mistura espanto e encanto”, disse Sonekka. 


Nilson Chaves ainda se recupera de um grave quadro de Covid-19, que resultou em um longo período de internação e ainda o mantém afastado dos palcos. As canções, em colaboração com os amigos compositores, foram gravadas em 2020 por ele, antes da infecção pela doença. Nilson explicou que mantinha as canções guardadas e agora, esbarrou na feliz coincidência de lançá-las no aniversário de Belém. “Acho que elas têm um impacto bem positivo na percepção da cidade. Ambas tem umas frases bem legais das coisas nossas”, finaliza Nilson Chaves.

Vaquinha

A campanha para arrecadar fundos para Nilson Chaves enquanto ele está impossibilitado de trabalhar segue disponível. Até o momento, o artista já conseguiu metade da meta. Quem tiver interesse em ajudar com a quantia que puder, basta acessar: vakinha.com.br/vaquinha/1585009.

Música
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MÚSICA

MAIS LIDAS EM CULTURA