Mahrco Monteiro comemora aniversário com show especial

Estarão no repertório grandes sucessos como “Chamegoso”, “Guada Chuva”, “Ilha do Amor”, “Aguê Aguá”, “Tudo num ser só” e “A Brasileira”.

Vito Gemaque

Com mais de 35 anos de carreira, o cantor e compositor Mahrco Monteiro comemora mais um ano de vida nesta sexta-feira, dia 8, a partir das 20h, na Casa da Seresta. O show “Foi tudo culpa do amor” traz um repertório de mais de 20 músicas com clássicos do brega brasileiro e paraense junto tanto com músicas autorais, quanto sucessos na voz de Monteiro. A noite terá ainda a apresentação especial de Joelson Pantoja.

“É um trabalho bem interessante, um trabalho que tem gosto para todo mundo, e é um trabalho cantante e mega dançante com repertório conhecido de todo mundo. Estou na expectativa. É praticamente o primeiro trabalho com o público depois dessa pandemia, porque eu parei mesmo com tudo, fiz muitas lives bacanas e tive a sorte de poder ajudar os outros”, declarou Mahrco. Durante a pandemia, Mahrco fez uma live para arrecadar doações para os profissionais que trabalham com música e outra para conseguir ajudar uma organização voltada para animais maltratados.

A música sempre esteve presente na família de Mahrco Monteiro, antes que ele nascesse no Rio de Janeiro. O tataravô Henrique Gurjão inaugurou o Theatro da Paz. O talento foi passado de geração em geração. “Tenho muita gente musical na família, tive primos dos meus pais, minha bisavó por parte de pai, que estudou piano na França, e se formou. Mas em 1901, a mulher não tinha muita autoridade para se profissionalizar, porque a profissão da mulher era cuidar da família e dos filhos”, destaca.

A mãe Dolores Monteiro teve papel fundamental na educação musical do artista Mahrco. “eu digo que ela educou a minha voz. Ela cantava duas horas de show, o rádio em casa era ela e eu fui aprendendo bem pequenino, nem pensava em cantar, pensava em estudar, tanto que fiz duas faculdades, nenhuma em música. Digo que tive sorte de ter uma boa educação musical”, relembra.

O artista tem dificuldade para escolher um ou outro momento marcante da carreira. Ao ser indagado lembra de várias situações que lhe marcaram profissionalmente como as participações em programas de televisão desde os de auditórios como Chacrinha e Raul Gil até os infantis apresentados por Mara Maravilha e Angélica quando estourou com o sucesso “Aguê Agá”, de Walter Afogados e Ívano. A música virou a febre entre as crianças no final dos anos 80 fazendo com que Mahrco fizesse vários shows lotados.

Outro momento importante foi a gravação do primeiro álbum autoral, quando o cantor também se descobriu capaz de ser compositor com “Simples Assim” há cinco anos. “O meu primeiro trabalho autoral nunca imaginei que chegasse a fazer e a gostar do resultado. Todas as músicas falam de amor”.

Além de algumas músicas de “Simples Assim” também estarão no repertório de hoje de noite grandes sucessos como “Chamegoso”, “Guada Chuva”, “Ilha do Amor”, “Aguê Aguá”, “Tudo num ser só” e “A Brasileira”. Na parte musical dos bregas haverá os campeões do estilo como Reginaldo Rossi, Aldair José, Roberto e Erasmo Carlos, Mauro Cotta, Wanderlei Andrade e Ted Max.

Junto com Monteiro estão voltando aos palcos para festejar a banda formada por Gleison Freitas (direção musical e guitarra), Jacob Tavares (contrabaixo), Henrique Santos (teclados), Edvaldo Cavalcante (bateria) e o Marquinho (percussão). Mahrco fala de muitas coisas, porém um segredo ele guarda. “Quanto a idade digamos assim que já passou dos 50 anos, é uma aniversário. Vaidade de artista”, brincou.

Música
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MÚSICA

MAIS LIDAS EM CULTURA