Grupo parafolclórico Mayaná lança videoclipe com tradução em libras

Com 15 anos de existência, o grupo grava o primeiro clipe da carreira

Vito Gemaque

O grupo parafolclórico Mayaná lança o primeiro videoclipe após 15 anos de existência. A música “Pescador” ganha também tradução em libras para as pessoas com deficiência auditiva. Atualmente, o grupo composto por 20 integrantes, entre músicos, dançarinos e produtores, tem se esforçado para lançar novos trabalhos de maneira independente. A música do clipe é inclusive um dos lançamentos do primeiro álbum do grupo intitulado “Mãe Natureza”, disponível desde agosto do ano passado nas plataformas digitais de streaming.

A música foi escrita em 2018 pela dupla de amigos Geraldinho Roots e o mestre Luis Pontes. “A música fala sobre o dia-a-dia do pescador e mostra o lado sentimental do caboclo. Essa é uma música romântica, um carimbó com letra romântica mostrando o lado sensível desses homens, que apesar de serem rústicos, também sabem amar”, destaca o coordenador geral do grupo, músico e compositor Geraldinho Roots. Todo o clipe foi filmado na  praia Funda, na Ilha de Cotijuba, em Belém. O projeto de lançamento do videoclipe foi premiado pela Lei Aldir Blanc.

A inclusão das libras é uma ação que já ocorre há algum tempo no Mayaná, formado expressivamente por professores. “Essa é uma causa que o Mayaná vem abraçando há muito tempo. Nos shows a tradutora sobe no palco conosco. A gente sabe por sermos professores que a acessibilidade é muito importante, estamos inserindo de acordo com a nossa realidade. Vai ter ainda documentários com libras. Tudo o que pudermos estar produzindo terá a acessibilidade com libras graças a nossa parceira Etiene Vaz”, agradece Geraldinho.

O Mayaná nasceu dentro da Escola Estadual Eneida de Moraes (Caique) como um projeto fundado pela professora Suely Alves. A educadora criou o grupo somente com estudantes para realizar apresentações de dança e depois vieram os músicos. Logo no primeiro ano de fundação, o Mayaná se apresentou em Recife no Festival Nacional da Juventude. Dali em diante o grupo começou a ter força, e ampliou a participação com pessoas de fora do colégio, com ex-alunos e comunidade em geral.

O grupo é uma das referências em parafolclórico em Ananindeua e já participou de diversos festivais nacionais e regionais, como o  47° Festival Folclórico de Olímpia em São Paulo (FEFOL), e também foi o vencedor do Festival de Música Outros Nativos realizado em setembro de 2019 em Belém.

Outros projetos estão sendo organizados para serem lançados ainda em 2021. O grupo divulgará uma websérie de três episódios chamada Papo Com Mestre, que é um documentário com mestres do carimbó de Ananindeua, com previsão no início de março. Já em abril, o grupo irá lançar um show gravado com as músicas do novo disco, já que ainda não tiveram oportunidade de tocar ao vivo para o público devido a pandemia do novo coronavírus. 

Música
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MÚSICA

MAIS LIDAS EM CULTURA