Dia da Bossa Nova marca homenagem ao mais brasileiro dos ritmos

A primeira aparição do novo ritmo musical aconteceu no disco Canção do Amor Demais, de Elizeth Cardoso

Agência Brasil

Nesta segunda-feira, 25, comemora-se o Dia da Bossa Nova, em homenagem ao nascimento do compositor Tom Jobim. Cantando a meia voz e acompanhando somente por seu violão, João Gilberto inaugurou a bossa nova, que ganhou com letras poéticas de Vinicius de Moraes e a melodia sofisticada de Tom Jobim, há 63 anos. 

A primeira aparição do novo ritmo musical aconteceu no disco Canção do Amor Demais, onde a cantora Elizeth Cardoso interpreta composições da dupla Tom Jobim e Vinicius de Moraes.

A bossa nova desponta especificamente em duas faixas, com acompanhamento ao violão feito pelo baiano João Gilberto, que traz pela primeira vez a batida do violão que se tornaria característica do estilo. “É clássico e definitivo momento de parto [da bossa nova]”, considera o crítico e historiador Ricardo Cravo Albin.

Gravado em abril e lançado em maio de 1958, o disco Canção do Amor Demais teve uma prensagem de 2 mil cópias. A produção foi feita pelo selo literário Festa, mantido pelo jornalista Irineu Garcia.

O catálogo do selo tradicionalmente reunia discos em que poetas e cronistas liam suas obras. Com Vinicius de Moraes, no entanto, foi diferente: em vez da leitura de poemas, Irineu sugeriu produzir um álbum com as composições ainda pouco conhecidas que ele havia feito, em parceria com Jobim, para a peça Orfeu da Conceição.

Música
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MÚSICA

MAIS LIDAS EM CULTURA