Artistas fazem homenagem a Milton Nascimento no 'ZiriguidumEmCasa'

Passam pelo festival artistas como Zé Renato, MPB4, Claudio Lins, Vânia Bastos, Pedro Lima e Pilar, entre outros

Da Redação e Agência Estado

Neste sábado, 17, às 20h, a 16ª edição do Festival #ZiriguidumEmCasa vai reunir 20 artistas para homenagear Milton Nascimento, que faz aniversário dia 26. Composições de Milton e músicas que foram imortalizadas por ele serão interpretadas por um elenco de diversas gerações, regiões e vertentes diferentes.

Passam pelo festival artistas como Zé Renato, MPB4, Claudio Lins, Vânia Bastos, Pedro Lima e Pilar, entre outros. No repertório - escolhido pelos próprios artistas participantes - estão grandes clássicos de Milton.

Pioneiro na organização de festivais de lives durante o isolamento social, #ZiriguidumEmCasa foi uma iniciativa de Claudio Lins com o jornalista Beto Feitosa e começou na primeira semana de pandemia, quando os teatros foram fechados.  

Dessa vez, parte da verba arrecada será destinada para a campanha "Show de solidariedade", indicada pela equipe de Milton, que procura ajudar profissionais do mercado do entretenimento afetados pela falta de trabalho durante a pandemia.

A outra parte será dividida de forma igual entre os artistas participantes e a produção do Festival. As doações voluntárias podem ser feitas através do link ou através do QR Code que vai estar no vídeo durante a exibição dos artistas.

A voz e a mensagem

"Todo artista tem de ir aonde o povo está", diz a letra de Nos Bailes da Vida, um dos grandes sucessos de Milton Nascimento. Em entrevista por e-mail concedida ao Estadão, ele falou sobre sua relação com a tecnologia neste período de isolamento. “Olha, depois da minha mudança para Juiz de Fora, pela proximidade maior com meu filho, acho que eu me aproximei mais. Antes disso, nem celular eu tinha, e agora já tem um tempo que tenho um com meu número pessoal. E recebo ligações de voz e também de vídeo de alguns amigos, e também tenho ligado bastante para eles. É uma coisa que eu nunca fiz antes, além de também acompanhar mais de perto o lance das minhas redes e tal”.

O músico revelou que seguiu quarentena máxima. “A gente precisa entender um negócio, muita coisa depende dos nossos atos. O distanciamento social, o cuidado com o outro, o uso da máscara, tudo isso é importante. Ainda mais agora, que o pessoal aí parece não saber direito o que tá fazendo, né”.

Perguntado sobre qual composição sua tem mais a ver com o momento que o país está vivendo ele é rápido. “Nem preciso pensar muito, é a parceria com meu irmão Ronaldo Bastos, Nada Será Como Antes”.

Artista muito importante e presente na época das Diretas Já, com canções como 'Coração de Estudante' e 'Nos Bailes da Vida' servindo de trilha sonora do movimento, Milton também faz sua avaliação do atual momento político, em que as pessoas estão divididas e há quem peça intervenção militar.

“Além de tudo isso que estamos enfrentando com a pandemia, ainda temos de lidar com coisas desse tipo. Como eu disse antes, é uma situação terrível. E é muito importante que todos falem disso. O Brasil vive hoje um colapso. Todos os estudos científicos são completamente ignorados. A ciência é ignorada. E é ignorada justamente por quem deveria nos orientar. Temos um governo que não confia na ciência e isso é absurdo. Tenho dito isso em várias entrevistas: voltamos à idade média. A tragédia só aumenta, o abandono é geral. O panorama é de terror”.

Agende-se:

Festival Ziriguidum em Casa homenageia Milton Nascimento
Sábado, 17/10 às 20h
No canal de Ziriguidum no Youtube

Música
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM CULTURA