Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Ex-mendigo Givaldo participou de sequestro que teve bebê amordaçado, diz site

Givaldo Alves de Souza foi preso em flagrante em 2004

Painah Silva

Givaldo Alves teve seu nome envolvido em mais um assunto polêmico. O ex-mendigo já teve uma passagem pela polícia de São Paulo e chegou a ficar preso por oito anos, como o Estado de Minas noticiou, na última sexta-feira, 20. Ele foi condenado por furto qualificado, cometido em 2001, e extorsão mediante sequestro, em 2004. No último, ele foi preso em flagrante.

VEJA MAIS

Ex-mendigo Givaldo já foi preso por participar de sequestro de mulher; veja a história do crime
Durante o crime, um bebê de um ano e oito meses, filho da mulher, foi amarrado pelos criminosos.

Ex-morador de rua é 'cancelado' nas redes sociais e perde três contas no Instagram
Vários grupos feministas se uniram para derrubar os perfis criados por Givaldo Alves na web

Morador de rua que virou influencer cumpriu pena por extorsão e sequestro
Givaldo Alves de Souza ficou conhecido ao ser flagrado mantendo relações sexuais com uma mulher dentro de um carro

Segundo o site Metrópoles, a vítima foi uma mulher de 33 anos, que ficou em um cativeiro por 48 horas, em Itaquaquecetuba (SP). Ela foi abordada por três homens armados, quando saía de casa, no Bairro Vila Progresso, acompanhada do marido, de 34, e um bebê de 1 ano e 8 meses, para ir ao supermercado, no início da noite de 29 de junho de 2004.

Na casa da vítima, após recolherem os objetos de valor, eles amarraram e amordaçaram pai e bebê, e fugiram no carro da família, levando a mulher. No dia seguinte, os sequestradores ligaram para o marido da vítima pedindo um resgate de R$ 300 mil. Após negociações, o valor caiu para R$ 3 mil.

Prisão em flagrante e condenação

Givaldo foi preso em flagrante dois dias depois, em 1º de julho, ao buscar o resgate de R$ 3 mil, na Praça do Forró, em São Miguel Paulista, por volta das 18h30, mas disse no momento que não teria participado do sequestro, só recebido R$ 500 para buscar o dinheiro.

Porém, após ser preso, o ex-sem-teto levou os policiais até o cativeiro, mas a vítima já havia sido libertada. Ele disse que teria ido ao local uma vez, porém, não viu a mulher

O ex-mendigo foi condenado, inicialmente, a 17 anos de prisão. Tendo cumprido oito anos de detenção, em regime fechado, na Penitenciária Compacta de Flórida Paulista, no interior de São Paulo.

Em 2013, Givaldo conseguiu uma revisão criminal. No momento, entendeu-se que ele agiu com mais dois comparsas, não três, então seria a forma simples do crime, não qualificada, o que gerou a redução da pena para oito anos. Como ele já estava preso, foi expedido o alvará de soltura. Desde então, ele está livre.

(Estagiária Painah Silva, sob supervisão da Coordenadora de Conteúdo, Sonia Ferro)

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CULTURA

MAIS LIDAS EM CULTURA