Edição 38º do Salão Arte Pará é aberta no Museu do Estado do Pará

Homenageado deste ano é o poeta, escritor, professor e dramaturgo, João Jesus de Paes Loureiro

Redação Integrada

Foi lançada na noite desta quinta-feira (10) a 38º edição do salão Arte Pará. O evento aconteceu no Museu do Estado Pará (MEP). Neste ano, o evento tem como característica principal ser formado apenas por artistas paraenses e rende homenagens aos 80 anos do poeta, escritor, professor e dramaturgo João Jesus de Paes Loureiro.

Curador das últimas edições do salão, Paulo Herkenhoff, responsável pela proposta curatorial e consultoria do salão, abriu a noite de discursos ressaltando a importância do homenageado para a Amazônia. "Ele não é importante só para o Pará, ou para o Brasil, mas é importante também para o mundo inteiro. O Paes Loureiro usa duas formas de conhecimento: o poético e o científico amazônico", ressaltou. 

Representando também o governador do Estado, Helder Barbalho, a secretária de cultura do Estado, Úrsula Vidal, destacou o aspecto tradicional da programação, que se soma às expectativas do Círio de Nazaré. Para a secretária, o evento que soma quase quatro décadas é uma "importante sala de aula" que reflete a cultura do Pará.

Desta vez, o salão é composto por 91 obras divididas em duas exposições com eixos curatoriais distintos, que ocupam o MEP com a mostra "Deslendário Amazônico", sob curadoria de Orlando Maneschy e o Museu da Universidade Federal do Pará (Mufpa), onde está a exposição “As Amazonas do Pará”, inteiramente composta por trabalho de mulheres, sob curadoria de Nina Matos.   

A presidente da Fundação Romulo Maiorana, Roberta Maiorana ressalta a longevidade do salão de arte contemporânea. "Esse projeto é extremamente importante porque ele traz uma outra oportunidade pra educação no Estado. Além disso, existe continuidade ao longo desses 38 anos. Nós somos talvez a única empresa que tenha um salão privado no país com tantos anos de frequência".

O evento conta ainda com dois patrocinadores: Vale e Faculdade Fibra. "A gente acredita que a cultura constrói histórias e ajuda a transformar a vida das pessoas. É sempre uma honra saber que estamos contribuindo para o desenvolvimento da arte contemporânea no Brasil", ressalta Ana Freitas, diretora de Comunicação da Vale. 

Já a diretora acadêmica da Faculdade Fibra explica que a parceria da instituição de ensino com o salão representa um investimento direto na educação. "É importante valorizarmos a arte amazônica. Para a gente, que trabalha com educação, é importante sempre estar ligado à quão importante a arte contribui para a formação das pessoas", pontua Irene Noronha.

Agende-se:

Arte Pará 2019
Exposição: 10/10 a 31/12
Locais: “Deslendário Amazônico” - Museu do Estado do Pará (MEP) - Praça Dom Pedro II, s/n - Cidade Velha
“As Amazonas do Pará”  - Museu da Universidade Federal do Pará (MUFPA) – Avenida José Malcher, 1192 - Nazaré
Realização: Fundação Romulo Maiorana
Patrocínio: Vale e Faculdade Fibra.
Colaboração: Sol Informática, O Liberal na Escola e Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belém (Setransbel).

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!