CONTINUE EM OLIBERAL.COM
X

Claudio Wallace retorna ao ‘Sons do Pará’ com o lançamento do clipe 'Dívidas’

O cantor atuante do rock autoral paraense escolheu a Praça da Republica e aos arredores do Theatro da Paz como cenário para ilustrar novo trabalho

O Liberal

O cantor e compositor Claudio Wallace lança nesta sexta-feira (31/5), o videoclipe inédito da canção "Dívidas", no Sons do Pará, durante a grade de programação da TV Liberal. Este lançamento marca a segunda vez que artista atuante do rock autoral paraense escolhe o projeto para apresentar uma de suas obras. Em 2023, ele lançou o hit "Nessas Guerras" pelo mesmo programa, contando com a mesma equipe de produção. 

Claudio Wallace afirmou estar muito empolgado com o lançamento e com a expectativa nas alturas. "Retornar ao Sons do Pará é fantástico. Ter a sua arte, sua música, nos lares dos paraenses, em todo o Pará é algo indescritível. Eu sinto como no primeiro [lançamento]. A ansiedade é enorme e espero que o espectador curta a música e o videoclipe", afirmou entusiasmado. 

Ele compartilhou que a música aborda o tema da decepção em diferentes aspectos da vida, seja no amor, na amizade ou no trabalho. "Fala sobre quem se entrou em uma relação que não deu certo, ficou pressa nessa situação, mas que pretende lutar para superar tudo e recomeçar a vida", explicou o cantor. A produção da canção do estúdio teve os arranjos do maestro Alcir Meireles, resultando em uma obra moderna e contemporânea. 

Segundo o artista, a canção "Dívidas" marcou a estreia dele nas plataformas digitais anos atrás, impulsionando sua carreira artística de maneira significativa. "O lançamento do clipe, acompanhado da música, resultará no show 'Claudio Wallace Apresenta 'Dívidas'', apresentação que acontecerá em breve em um teatro da cidade, com data a ser divulgada posteriormente", revelou Claudio Wallace com exclusividade. 

O cantor escolheu a Praça da República, no bairro da Campina, como cenário para a gravação do clipe e os arredores do Theatro da Paz como locação também. Para ele, os lugares escolhidos carregam significativos simbólicos, homenageando o papel cultural e artístico da cena musical paraense. 

"Nos anos 80, era onde se reuniam os músicos para trocar ideias, mostrar suas canções e realizar eventos. Época em que iniciei minha carreira. Eram rodas de amigos tocando violão, ensinando reciprocamente. Sei que é um saudosismo, mas é como eu era. Foi uma forma que encontrei de homenagear a importância delas", declarou Claudio Wallace sobre a locação. 

'Rock and roll' na veia

Construir e divulgar o rock autoral paraense no estado é uma jornada repleta de desafios e recompensas, segundo o artista. Com quase quatro décadas dedicadas à música autoral, Claudio Wallace já compôs cerca de 34 canções, entre singles, EP's e álbuns, além de ter publicado diversos trabalhos audiovisuais.  

Para o artista independente, o rock é mais do que um gênero musical, é uma forma de vida. Claudio Wallace descreve o rock como uma sensação de liberdade e uma ferramenta para expressar pensamentos, desde o cotidiano até questões políticas e emocionais. 

No entanto, ele reconhece os desafios enfrentados pelos artistas autorais paraenses, especialmente devido à distância dos centros musicais. Apesar da visibilidade proporcionada pelas plataformas digitais, o roqueiro destacou a necessidade de mais incentivos por parte do governo e das empresas privadas. 

“Uma forma de ajudar os artistas autorais seria também quando grandes nomes vem a nossa terra se apresentar. Dar oportunidade a quem trabalha a música autoral paraense de abrir esses shows. Para o artista seria a oportunidade de ser visto ao lado de um grande nome e mostrar seu trabalho. Temos muita gente boa em nossa terra”, elogiou o cantor.

Carreira 

Claudio Wallace teve seus primeiros passos na cena musical paraense durante o boom do Rock Nacional em meados de 1986. “Todo mundo queria e sonhava ter uma banda. Ter participado daquele momento, quando o rock paraense estava engatinhando, é um motivo de muito orgulho para mim. As dificuldades imensas e todos ali se ajudando, trocando ideias, saindo para panfletar eventos, colar cartazes, colocar faixas”, relembrou.

A música sempre esteve presente na vida do cantor, desde a influência de seu pai e tios, que tocavam em uma banda chamada "Os Incas", até o momento em que ele próprio decidiu abraçar o rock como sua paixão definitiva. Inspirado pelos Beatles e tocando um contrabaixo aos 16 anos, Claudio Wallace não olhou para trás, dedicando-se inteiramente à música.

Além de seu compromisso contínuo com o rock autoral, Wallace revelou planos de lançar um EP romântico no segundo semestre, prometendo baladas emocionantes e letras que tocam o coração do público. “Com lindas baladas adornadas com letras que toquem o coração das pessoas, que pode se chamar ‘Claudio Wallace também canta o amor’”, compartilhou. 

Entre no nosso grupo de notícias no WhatsApp e Telegram 📱
Cultura
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CULTURA

MAIS LIDAS EM CULTURA