Paulo Gustavo anuncia "Minha Mãe É uma Peça 3"

Em entrevista, o ator falou sobre as dificuldades do início da carreira

Redação Integrada

Com a estreia do novo filme "Minha vida em marte", o ator Paulo Gustavo deu entrevista para o jornal O Estado de São Paulo e falou do início da carreira, do ser político que se considera e já adiantou que vai ter "Minha Mãe É uma Peça 3".

Sobre a dificuldade do início da carreira o ator disse que saiu de Niterói com R$ 50,00 no bolso para interpretar a Dona Hermínia. "Dona Hermínia estourou e eu fui junto".

Em meio ao preconceito, Paulo Gustavo ganhou a graça do público e diz que se sente satisfeito com o trabalho que vem realizando.

LEIA TAMBÉM

"As pessoas me adoram. Fiz show no fim de semana, num ginásio em São Luís (Maranhão), para milhares de pessoas. Tinha pobre, rico, negro, branco, hétero, gay. As crianças me adoram. Não sou militante, mas sou um ser político. Pago meus impostos, sou um cidadão de bem. Respeito e quero ser respeitado. Meu compromisso é ajudar as pessoas a viverem melhor. Casei com um homem, vivo feliz com ele. Não ficamos mostrando nossa intimidade, nem é preciso. Tudo tem limite, mas não abro mão de ser quem sou, como sou. Está dando supercerto", diz.

Ele confirmou que vai ter o filme "Minha Mãe É uma Peça 3" e vai ser dirigido por Susana Garcia, irmã de Mônica Martelli. "Dentro desse espírito de fazer aumentar a tolerância nesse País tão preconceituoso, o Juliano, filho da Dona Hermínia (interpretado por Rodrigo Pandolfo), vai se casar com um homem, como eu. Vai ser bem legal", adiantou o humorista.

Cinema