Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Centro de Estudos Cinematográficos retorna as lives com conversa sobre música e cinema

Música no cinema (08/04) e a importância das cinematecas (15/04) são os temas discutidos em abril com convidados especiais.

Caio Oliveira

Ainda que às vezes possa passar despercebida em uma cena, a música é fundamental para o cinema. Quem não se lembra da trilha sonora triunfal de John Williams nos voos do Superman de Christopher Reeve ou da gravidade evocada pela Marcha Imperial a cada aparição de Darth Vader? Devido à relevância desse relacionamento entre som e imagem no audiovisual, o tema escolhido para o retorno das lives do Centro de Estudos Cinematográficos (CEC) é “Música no Cinema”: na noite desta quinta-feira, 08, o professor, pesquisador e crítico de cinema Marco Antonio Moreira, coordenador do CEC, recebe o especialista em música Daniel Lima para um bate papo sobre o assunto. A transmissão será no perfil de Instagram @centrodeestudosdecinema, às 20h.


“A ideia é sempre procurar temas interessantes - relacionados a cinema, naturalmente - e um deles que me agrada muito falar é a importância da música nos filmes, que é muito maior, às vezes, do que o próprio espectador pode perceber. Às vezes, a emoção vem muito mais da música que pela imagem”, conta Marco Antônio. “A minha ideia, que estava na agenda há algum tempo, era arranjar um especialista para trocar a ideia, e o Daniel é um cara genial, gosta muito de cinema, está estudando fora do Brasil, então, é o parceiro ideal”, elogia. 


Daniel Lima é bacharel em violino pela Fundação Carlos Gomes e foi violinista da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP). Ele também foi selecionado para o mais importante programa de ensino de regência do país: a Academia de Regência da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP) e desde 2019, cursa o Mestrado em Regência Orquestral do Peabody Institute da Universidade Johns Hopkins.


Adiantando um pouco do debate, Marco Antônio comenta que a obra de Ennio Morricone, compositor e maestro italiano que escreveu centenas de partituras para cinema, com certeza será comentada na live com Daniel. “Ano passado, talvez o maior compositor de trilhas sonoras, o Ennio Morricone, faleceu aos 91 anos. O John Williams ainda está vivo, produzindo, e certamente é uma grande referência, e ele e o Morricone são fundamentais para entender como é importante a criação de uma cena com música”, explica Moreira.


Além dessa análise das músicas que embalam nossos sonhos na tela, no dia 15 de abril, o CEC recebe o professor Ramiro Quaresma para outra live com o tema “A Importância das Cinematecas para a Preservação do Patrimônio Audiovisual”. Ramiro é doutorando em Artes com ênfase em Cinema pela UFMG e professor do Instituto de Ciências da Arte da UFPA, além de documentarista e idealizador do blog Cinemateca Paraense (Cinema). 


Por fim, o diretor do CEC reforça que o Centro projeta realizar uma programação mais versátil, oferecendo formatos diferentes das já costumeiras lives. Uma das novidades previstas é a Roda de Cinema, que reunirá convidados de dentro e de fora do Pará para debates que ficarão disponíveis no YouTube. Outra iniciativa é o lançamento de um site que terá conteúdo focado em explorar diversos tópicos sobre cinema. “Vamos sempre buscar a inovação para dar novas alternativas a quem quiser consumir reflexões e análises sobre filmes, seus contextos, personagens e tudo mais”, pontua Marco. 

Cinema
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM CINEMA

MAIS LIDAS EM CULTURA