Belém recebe mostra do cinema dinamarquês

Evento gratuito começa começa nesta quarta, 15, e segue até o dia 30, com exibição de 14 filmes, no Cine Olympia

Vito Gemaque

A Dinamarca é um país distante do Brasil. Ao pensar sobre o país nórdico muitos associam imediatamente ao frio e, talvez alguns pensem, que é uma das nações com menor grau de corrupção do mundo

Diferente em clima e cultura, a Dinamarca será desvendada pelos brasileiros com a Mostra de Cinema Cineklap: Planet_A que começa nesta quarta-feira, dia 15, em Belém, no Cine Olympia. Pela primeira vez em Belém, o evento exibirá 14 títulos de diretores e atores dinamarqueses premiados até o dia 30 deste mês com entrada franca de terça aos domingos.

Os filmes selecionados pela curadora Tatiana Groff relaciona o eixo geral da mostra que é meio ambiente e sustentabilidade com o tema “O Corpo no Mundo”. A realização do Instituto Cultural da Dinamarca busca ampliar o conhecimento do cinema dinamarquês apresentando filmes de impacto que tratam de questões da atualidade das pessoas nesse planeta compartilhado que vivemos.

“A ideia principal é fazer este diálogo da cultura dinamarquesa com a brasileira. Pensar na criação de novos públicos, e levar o cinema dinamarquês com filmes pouco conhecidos. Você vai ver um ou outro filme famoso, mas temos filmes que não chegam a todo mundo. Nós lançamos filmes em parceria com as distribuidoras, que são emblemáticos em grandes festivais, um ou dois filmes neste contexto, mas os outros filmes são mais difíceis de ter uma distribuição e se teve foi mais restrita”, detalha a curadora.

Nos primeiros anos do cinema, a Dinamarca foi um dos países mais influentes na Europa no desenvolvimento cinematográfico. Desde então, e através de seu instituto de cinema, o país seguiu dando forte apoio à produção e com o passar do tempo o país desenvolveu um modelo inovador que tornou sua indústria sustentável em toda a cadeia produtiva e é hoje uma das indústrias mais relevantes do audiovisual no mundo.

Segundo Groff, a pujança do cinema dinamarquês está no roteiro. “O cinema dinamarquês está nos roteiros. A Dinamarca é uma força no desenvolvimento de roteiros e é o que se pode esperar muito. Não é nada tão diferente do que se vê em um cinema internacional, onde se trabalham muitos temas tabus, fortes, simples e de forma cotidiana, em que se tenta humanizar e colocar um outro lado. A Dinamarca tem essas características de colocar diálogos sociais, através de um filme mais adolescente, por exemplo. O que seria em outro país mais uma história que você vê na Sessão da Tarde ganha um salto. Eles são muito cuidadosos com roteiro”, explica.

A ideia de trazer a mostra para Belém busca difundir o cinema e a cultura dinamarquesa pelo interior do País, fora dos centros convencionais do sudeste. A primeira vez em Belém já era almejada há algum tempo, mas necessitava de parceiros como o Cinema Olympia. “A função é trabalhar o Brasil todo, porque a gente acaba ficando muito no eixo Rio - São Paulo. O grande desafio é levar para lugares distantes do Brasil, levar outras atividades em Belém depois, conforme for dando certo”, declara Tatiana.

Programação para todos os públicos

A mostra do Cinema Dinamarquês Planet_A trará na programação filmes para diferentes públicos. A abertura terá o longa “Darling” que traz a história de uma de uma bailarina em crise com danos físicos e sociais para refletir sobre o corpo em movimento. O longa aborda a carreira da profissional famosa, que retorna à Copenhague para protagonizar a clássica peça “Giselle”.

Outro filme selecionado é “A Comunidade”, de Thomas Vinterberg, um dos mais aclamados diretores dinamarqueses e uma das cabeças pensantes do revolucionário movimento Dogma 94. O filme se passa na década de 70 sobre as relações sociais e amorosas de um casal que resolve fundar uma comunidade para viver em grupo. O filme conta com a atriz dinamarquesa Trine Dyrholm que conquistou o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Berlim, em 2016.

Já o “Time Furacão” é um drama experimental adolescente que celebra as garotas que ousam chamar atenção com suas atitudes. O elenco foi escolhido pelas redes sociais, e mistura técnicas de documentário e uma paleta de cores inspirada nos animes japoneses, o que produz uma fusão de elementos realistas e fantásticos. É o primeiro longa-metragem de Annika Berg e participou da semana dos críticos no Festival de Veneza.

Para quem gosta de filmes policiais, o gênero está presente em “Guerreiro da Escuridão” em que o diretor Fenar Ahmad explora o significado de ser um imigrante com perguntas sobre identidade e autoestima.

E, de maneira inédita, a mostra traz “Eu sou William”, que dialoga corpo e consciência sob uma perspectiva juvenil. Uma comédia feita a partir de um romance infantil do autor dinamarquês, Kim Akeson. O filme conta a história de William, que após a morte de seu pai, passa a morar com o tio, que vive da compra e venda de produtos e acaba acumulando dívidas com bandidos.

Agende-se:

Cineklap: Planet_A – mostra de filmes dinamarqueses
Local: Cinema Olympia, avenida Presidente Vargas, 918 - Campina
Data: 15 a 30 de janeiro
Horários: Terça à sexta-feira, às 18H30 e Sábados, domingos e feriados, às 16h30
Endereço: Av. Presidente Vargas 918 | Campina
Informações: (91) 3230 5380
Entrada grátis com retirada de convites com 1h de antecedência

Cinema
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM CULTURA