'Babenco' inicia campanha de financiamento coletivo para concorrer ao Oscar

O filme está inscrito para concorrer na categoria de Melhor Documentário e Melhor Filme Internacional

Redação Integrada

O sensível filme “BABENCO – Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou”, de Bárbara Paz, iniciou uma campanha de crowdfunding (financiamento coletivo) para sua campanha ao Oscar. Após ser selecionado para mais de 20 festivais internacionais, o filme é a indicação do Brasil para concorrer ao Prêmio da Academia de Melhor Filme Internacional, mas tem ainda que passar pela peneira de 10 selecionados dia 09 de fevereiro e pela lista de 05 indicados, dia 15 de março. Nessa primeira fase filmes de 92 países foram inscritos. O filme também está inscrito para concorrer na categoria de Melhor Documentário. 


Os custos para participar de uma competição deste porte e realizar a campanha publicitária para o filme ser visto e ser votado pode passar de 200 mil dólares, apenas na primeira fase. Diferente de outras categorias, a votação para Melhor Filme Internacional é aberta para todos os membros da Academia, independente da nacionalidade ou ramo do artista. É necessário, porém, que o membro se inscreva em uma comissão especial para poder ter acesso aos filmes concorrentes na plataforma da Academia. 


A meta inicial da campanha de arrecadação é de 200 mil reais até dia 31 de janeiro e a segunda é de 350 mil reais. Os coprodutores Globo Filmes e Canal Brasil e os apoiadores Globo, Itaú e SpCine também ajudam no investimento da campanha à maior premiação do cinema mundial. De acordo com a produção do filme, também foi solicitada ajuda do Governo Federal, por meio da Agência Nacional do Cinema  - Ancine, mas até agora, eles não receberam aprovação. As doações para a campanha de financiamento são feitas no link benfeitoria.com/babenco.


“Babenco” estreou mundialmente no Festival de Veneza de 2019, recebendo o prêmio de Melhor Documentário na Mostra Venice Classics e o prêmio Bisato D’Oro 2019 (Prêmio Paralelo ao 76º Festival Internacional de Cinema de Veneza dado pela crítica independente). O filme estreou nos cinemas do Brasil dia 26 de novembro.


Recentemente, o filme conquistou ainda o prêmio de Melhor Documentário no Festival Internacional de Cinema de Mumbai, na Índia. e o prêmio de Melhor Documentário no Festival Internacional de Documentários de Guangzhou, na China. Ele também já foi selecionado para festivais como o do Cairo, Festival de Havana, Festival de Mar del Plata, Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Festival do Rio, Mostra de Tiradentes, Festival de Aruanda, FIDBA (Festival Internacional de Cinema Documental), na Argentina, Baltic Sea Docs, na Letônia e para o Mill Valley Film Festival, nos Estados Unidos. 


Dirigido por Bárbara Paz, viúva de Hector Babenco, o filme traça um paralelo entre a arte e a doença do cineasta argentino. O trabalho revela medos e ansiedades, mas também memórias, reflexões e fabulações, num confronto entre vigor intelectual e a fragilidade física que marcou sua vida. O filme é uma produção HB Filmes, também produzido por Bárbara Paz. A coprodução é da Gullane (pelos irmãos Caio Gullane e Fabiano Gullane), BP, Lusco Fusco, Globo Filmes, GloboNews e Canal Brasil.

Cinema
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM CINEMA

MAIS LIDAS EM CULTURA